A Eldorado Brasil Celulose recebeu, na última sexta (11) a Licença Ambiental de Instalação para o novo terminal da companhia no Porto de Santos, o STS14.





A licença dá referência à característica da operação portuária da empresa para as atividades de desembarque, movimentação interna, armazenagem, expedição e embarque de fardos de celulose.





O documento foi emitido pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).





“Receber a Licença Ambiental de Instalação contribui com a estratégia da Eldorado de avançar com o projeto da EB Log no STS14, que terá impacto positivo nas operações logísticas da companhia, que exporta 90% da celulose que produz em Três Lagoas (MS)”, explica Flávio da Rocha Costa, gerente geral de logística na Eldorado Brasil.





Após vencer o leilão realizado pela Agência Nacional de Transportes Aquáticos (Antaq) no dia 28 de agosto de 2020, a Eldorado Brasil anunciou que faria um investimento de cerca de R$ 500 milhões, entre o valor pela outorga de uso por 25 anos e a modernização do local para a movimentação de sua celulose.





Assim que o local estiver pronto para operar, a Eldorado terá condições de levar sua produção também através do modal ferroviário para mais próximo do berço, o que facilitará o processo logístico realizado pela empresa, deixando-a mais competitiva diante dos custos logísticos.





Outro aspecto positivo deste projeto é a geração de emprego e renda na região, contribuindo para o desenvolvimento econômico.





“Com o novo terminal portuário, a Eldorado estará preparada para movimentar 2,5 milhões de toneladas de celulose por ano pelo Porto de Santos”, avalia Flávio.





Atualmente a empresa produz 1,7 milhão de toneladas de celulose por ano, em Três Lagoas (MS), e se prepara para avançar com o projeto de construção de uma nova linha de produção.





O novo projeto elevará a capacidade total para mais de 4 milhões de toneladas de celulose por ano.





Sobre a Eldorado





A Eldorado Brasil é uma produtora de celulose de eucalipto, com mais de 5 mil colaboradores, que possui mais de 200 mil hectares de florestas plantadas e mais de 100 mil hectares de áreas de conservação ambiental no Mato Grosso do Sul.





A companhia está no Porto de Santos com terminal portuário próprio desde junho de 2015, quando inaugurou a Rishis.