A Polícia Civil, Procon-SP e Ipem-SP realizaram fiscalização de um posto de combustíveis nesta sexta-feira (7), após uma reclamação anônima de um consumidor a respeito da qualidade do combustível comercializado no estabelecimento.





Durante a fiscalização, foi constatado que em uma das bombas havia uma diferença de volume acima do limite tolerado. Na bomba de combustível citada, constatou-se que, a cada 20 litros de combustível indicados no visor, havia uma diferença de 120 ml para menos.





O limite máximo tolerado é de 60 ml. Dessa forma, a bomba citada foi lacrada. Além desta bomba, outras que estavam trancadas com cadeados, sob o argumento de que não eram utilizadas, também foram lacradas.





Foi coletado combustível para ser encaminhado para análise laboratorial. O posto de combustíveis foi autuado pela ausência de notas fiscais que comprovem a origem do combustível comercializado.





A Polícia Civil solicita que eventuais consumidores prejudicados registrem boletim de ocorrência noticiando o fato, para auxiliar nas investigações.