A Justiça decretou, nesta quarta-feira (22), a prisão preventiva do procurador Demétrius Oliveira de Macedo, que agrediu a procuradora-geral da Prefeitura de Registro, Gabriela Samadello Monteiro de Barros, na última segunda-feira (20).





O mandado foi expedido pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Registro, Raphael Ernane Neves, após o pedido da Polícia Civil. O magistrado justificou que "nenhuma das medidas alternativas se revela pertinente".





De acordo com o despacho do delegado Daniel Vaz Rocha, do 1º Distrito Policial de Registro, que representou pela prisão do acusado na 1ª Vara Criminal da cidade, o acusado "vem tendo sérios problemas de relacionamento com mulheres no ambiente de trabalho, sendo que, em liberdade, expõe a perigo a vida delas, e consequentemente, a ordem pública."





O inquérito policial instaurado para apurar o caso reuniu fotos e vídeos da agressão, além de depoimento da procuradora-geral, para fundamentar o pedido de prisão preventiva.





Entenda o caso





A procuradora geral de Registro, de 39 anos, foi agredida, na tarde da última segunda-feira (20), por um colega de trabalho, também procurador. Em um vídeo obtido pelo Santa Portal, é possível ver Demétrius Oliveira de Macedo, 34 anos, xingando, chutando e dando socos em Gabriela Samadello Monteiro de Barros. O caso é investigado pela Polícia Civil.





De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima compareceu à delegacia com ferimentos e sangramento no rosto, quando contou o que havia ocorrido. As agressões ocorreram no prédio da Prefeitura de Registro, na  Rua José Antônio de Campos, no Centro, por volta das 17h. 





À Polícia, ela contou que estava na sua sala de trabalho, próximo à uma funcionária, que lhe contou que Macedo aparentava não estar bem. Logo em seguida, o suspeito saiu da sala dele e veio em direção a Gabriela, a agredindo com uma cotovelada na cabeça. 





Com a pancada, ela foi arremessada contra a parede, momento em que o homem passou a socá-la e chutá-la. A vítima caiu no chão, mas isso não foi o suficiente para que o suspeito parasse com as agressões. Uma funcionária ainda tentou contê-lo, mas foi empurrada contra a porta. 





A procuradora chegou a ficar desacordada, momento em que outra colega a afastou de Macedo. Enquanto Gabriela tentava levantar, o homem a socou novamente, e a xingou de “puta e vagabunda”. Ela conseguiu escapar dele ao entrar em outra sala e trancar. O homem foi contido por dois funcionários da procuradoria. 





Clique abaixo para ver o vídeo das agressões: