No ano de 1926, um novo morador chegava do interior de São Paulo para morar no Distrito de Solemar, em Praia Grande. Tratava-se do Senhor Júlio Secco de Carvalho, que junto de sua esposa, a Dona Maria da Costa Carvalho, transformaria o pequeno lugarejo em sua morada até o fim de seus dias.









Em 1928, o visionário Júlio Secco doou parte suas de terras à Estrada de Ferro Sorocabana, e com isso, conseguiu instalar na cidade a Estação Ferroviária de Solemar.





HERÓI PAULISTA





Nascido em Portugal, Júlio Secco tinha cidadania brasileira, e levava a pátria em seu coração, tanto é que deu todos os seus esforços na Campanha da Revolução Constitucionalista de 1932, motivo pelo qual recebeu da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, uma medalha de herói paulista no mesmo ano.





IDEAL DE LIBERDADE





Em 1948, sempre pensando no progresso de Solemar e região, Júlio lançou a semente da emancipação político-administrativa, porém, apesar de todos os esforços, não obteve bons resultados. Na ocasião, muitos políticos vicentinos conspiraram contra o desmembramento.





CONQUISTA





Apesar da luta pela Emancipação não ter sido bem sucedida, Júlio Secco conseguiu a elevação da vila de Solemar, como o 1º distrito de Praia Grande, quando ficou estabelecido que suas divisas iriam da Vila Tupiry até os limites de Mongaguá.





Solemar foi o berço da civilização praia-grandense, o primeiro grito de independência partiu daquele recanto tranquilo. Júlio Secco de Carvalho, homem empreendedor e de larga visão comercial, adquiriu grandes áreas de terras em Solemar com a finalidade de fornecer lenha de suas matas para a Estrada de Ferro Sorocabana, trabalho a que se dedicou durante vários anos. 





Um dia, esgotaram-se as reservas de madeiras, e Júlio Secco de Carvalho teve a ideia de lotear a área, transformando-a numa vila próspera e atuante. Primeiro cuidou de construir uma moderna estação ferroviária, depois tratou de interessar os políticos da época em torno do local.





Por anos, chegou a fornecer terrenos gratuitamente para uns, a outros, vendeu lotes a preços simbólicos, tudo com a finalidade de conseguir para Solemar cada vez mais melhoramentos. O pioneiro Júlio Secco, abriu ruas, construiu igreja, lutou para conseguir o cartório, transformou a vila de Solemar em distrito, e foi ao lado de Nestor Ferreira da Rocha e Heitor Sanchez que espalharam aquela ideia que jamais foi esquecida: Emancipação! 





ÚLTIMOS DIAS





Faleceu antes da emancipação de Praia Grande, sem ver concretizada sua luta de tantos e tantos anos, mas seu nome permanece vivo na lembrança de todos os praia-grandenses, sendo pronunciado sempre com respeito e carinho por aqueles que preservam e valorizam nossa história.