Sem viés de dúvidas esta é a maior bomba de 2021. Anunciada logo após a oficialização da compra da Fox pela Disney, “Esqueceram de Mim no Lar Doce Lar” procura ser um misto de reboot e sequência do clássico longa estrelado por Macaulay Culkin. Era necessário ele ser feito, mesmo após a Fox ter feito dezenas de “spin-offs” da franquia, sem obter sucesso? Obviamente que não! Lembrando que estamos falando sobre um “reboot de um longa escrito por John Hudges” (responsável por ter criado vários longas de sucesso dos anos 80/90).





A história gira em torno de Max (Archie Yates), que após realizar uma visita em um imóvel pertencente ao casal Pam (Ellie Kemper) e Jeff (Rob Delaney), faz estes acreditarem no fato daquele ter pego uma boneca rara que vale uma quantia enorme em dinheiro. Então eles resolvem ir até a casa do mesmo para buscar, só que não imaginavam que a família de Max foi para o Japão e esqueceu o mesmo sozinho em casa. Logo a dupla terá de enfrentar mil e uma artimanhas deste, para recuperar o boneco.









Imagem: 20th Century Studios (Divulgação)





Em seu prólogo já temos uma ideia que estamos falando de uma produção totalmente feita nas coxas, apenas se garantindo no selo de ser “o primeiro reboot da Fox feito pela Disney”. O roteiro da dupla Mikey Day e Streeter Seidell usa e abusa de piadas totalmente sem graça e forçadas, para tentar arrancar algum riso do espectador. Porém como estamos falando em uma geração do “politicamente correto”, não vemos nada daquela “malícia” dos dois primeiros filmes. Agora estamos falando de uma produção repleta de personagens burros e com atitudes mais burras ainda.





A começar que todo o enredo poderia ter sido resolvido em cinco minutos (ou até menos), e realmente algumas situações apresentadas não fazem sentido algum (como em pleno ano de 2021, uma criança monta mil e uma armadilhas complexas e não sabe acessar uma internet sem bloqueio parental?). Isso sem falar que a ação central ocorre totalmente de forma bastante imbecil (a começar que o casal e Max interpretam as intenções de forma totalmente errada, e em nenhum momento eles pensam em ter um diálogo como no longa original). Não há nenhuma ameaça ou até mesmo uma presença que seja realmente assustadora para a criança.





Eu nem entrarei em mérito das atuações, pois certamente o cachê deve ter sido bem grande e a oportunidade de estrelar algo da marca Disney deve ter sido tentadora para todos.





Ao subirem os créditos finais de “Esqueceram de Mim no Lar Doce Lar“, vemos que o filme consegue ser pior que o título colocado nesta produção. Realmente o politicamente correto está estragando como um tsunami, grandes produções do cinema.