Híbridos e elétricos vão dominar o mundo. Esta frase acompanha o blog desde sua criação e, ao que parece, a cada dia sua veracidade fortalece-se. E nem é necessário mostrar um link dizendo que uma montadora anunciou que em um país europeu haverá somente carros com zero emissão a partir do ano dois mil e quase três mil. Não. A notícia é brasileira e está no tempo presente.






Vem dos números da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Nunca antes na história deste país tantos híbridos e elétricos foram vendidos como em 2021. De acordo com a Anfavea, foram registradas 3.873 unidades de híbridos e elétricos comercializadas. Destes, foram 3.639 unidades de modelos híbridos, contra 234 elétricos. Com esses números, as vendas desse tipo de carro em 2021 já são maiores que em todo o ano de 2020.






No acumulado, até o último mês, foram 21.397 unidades vendidas, contra 19.745 entre janeiro e dezembro do ano passado.






Algumas razões são cristalinas. Há uma profusão desse tipo de veículo. A marca que não tinha passou a ter. A marca que já tinha começou a investir para ter mais.






Entre julho e agosto chegaram Fiat 500 elétrico e Honda Accord híbrido. Em paralelo, a Chevrolet anunciou um novo Bolt (totalmente elétrico) para setembro e a JAC trouxe o E-JS4. Aliás, a marca chinesa vem há dois anos investindo pesado nos elétricos.






E estamos falando de um ano em que o Brasil recebeu Audi e-tron e Toyota Corolla Cross, que é híbrido e flex, como já era o Corolla convencional desde 2019. A mesma Toyota que já tem o Prius e o RAV4 sustentáveis.





O que deve acontecer agora é o barateamento do produto. Carros híbridos e elétricos ainda são muito caros, mas tudo indica que a proliferação desse segmento provocará uma queda nos preços, mesmo que seja ligeira.






É o que esperamos. Carros híbridos são imensamente econômicos, principalmente no trânsito urbano, porque andam quase sempre no modo elétrico e a recuperação de energia se dá na desaceleração e no uso dos freios. Alguns carros são plug-in, quer dizer, você carrega na tomada. Mas os da Toyota, por exemplo, basta desacelerar e ser feliz.






Aceleremos!!