Ministério Público recebe denúncia sobre vacinação fake em idosa de 87 anos, em PGArquivo pessoal

PRAIA GRANDE - O Ministério Público recebeu denúncia sobre a vacina fake contra covid-19 aplicada em uma mulher de 87 anos, em Praia Grande. Em até 30 dias, o MP avaliará o caso e decidirá se acatará ou não a denúncia. A petição foi protocolada pelo vereador Whelliton Silva (PL).

Relembre o caso

Uma idosa, de 87 anos, passou por um episódio desagradável ao se deslocar para uma unidade de saúde, visando receber a primeira dose da CoronaVac: a enfermeiro responsável por aplicar o imunizante não injetou o líquido. O episódio aconteceu no último dia 12, no Espaço Conviver do bairro Caiçara.

Rosana acompanhou a sua mãe Teresa para tomar a vacina. Ao registrar o momento em que sua mãe seria vacinada, Rosana tomou um susto.

“Levei minha mãe e, ao chegar lá no Conviver do Caiçara, eles já dão um papel com a data da vacina e daqui a quatro semanas está marcada a volta para a segunda dose. Quando chegamos, o enfermeiro já veio ao meu encontro e coloquei a minha mãe sentada. Como ela era mais velha, logo levaram ela para vacinar. Ele disse que podia gravar e pegou aquelas caixas térmicas, me mostrou e eu estava atenta também. Quando ele foi vaciná-la, eu percebi que ele não aplicou, não apertou a seringa. Daí ele tirou do braço da minha mãe e perguntou ‘doeu?’ Ela disse que não sentiu nada. Foi quando eu gritei no vídeo: ‘está tudo errado, não aplicou’”, disse a filha, em entrevista ao #Santaportal.

Após a reclamação de Rosana, o responsável pela unidade foi verificar o que havia acontecido. ”Na hora do nervoso, eu bati a mão e desliguei a câmera. O responsável chegou e mandou aplicar outra na hora. Eles alegaram que entupiu, por isso não saiu o líquido. O enfermeiro iria aplicar no mesmo braço. Daí o responsável, que se identificou como professor, virou e fez sinal para que ele fizesse a aplicação no outro braço”, relembrou.