Buscas por desaparecido em cachoeira de Praia Grande devem continuar na terçaReprodução

PRAIA GRANDE - As buscas pelo homem que desapareceu após ser atingido por uma cabeça d’água na cachoeira do Guariúma, em Praia Grande , devem prosseguir na terça-feira (23). Segundo o Corpo de Bombeiros, o homem ainda não foi encontrado. Equipes do Setor Ambiental da Guarda Civil Municipal (GCM) e da Defesa Civil do Município, além do Corpo de Bombeiros trabalham no local.

A cachoeira é administrada pelo Governo do Estado, e segundo testemunhas, no momento em que aconteceu a cabeça d’água no local, não havia guarda-vidas para orientar os visitantes sobre os riscos que a chuva poderia trazer. 

De acordo com a Prefeitura de Praia Grande, o rapaz realizava uma visita monitorada e autorizada pela Fundação Florestal no domingo (21), quando foi surpreendido por uma cabeça d’água, por volta das 13h30. A administração municipal informou que mergulhadores também estão participando da operação com o objetivo de localizá-lo.

Testemunha

A representante comercial Márcia Maria Pina de Lucena presenciou o momento em que o homem ficou ilhado em um trecho da cachoeira, quando foi surpreendido pela cabeça d’água. Ela relata que estava em uma ponte ao lado, e viveu momentos de desespero.

“Se tinha risco de cabeça d’água, e o encarregado do parque está lá vendo as pessoas chegarem, por que ele deixou e foi embora? As pessoas ficaram na cachoeira com chuva e não dava para imaginar que teria cabeça d’água. Eu fiquei vendo aquela agonia sem poder fazer nada, e a chuva apertando e não vinha ninguém para socorrer”, relata.

Márcia ainda diz que conseguiu sair do local com sua família momentos antes do fenômeno atingir o local. Quando viu que o homem estava preso, ela filmou de uma ponte e pediu para que as pessoas buscassem ajuda. “Eu vi que ele tinha perdido as forças, quando vi que ele ia ser arrastado, eu saí dali e a ponte estralou, quase desmaiei”.

Ela ainda conta que o encarregado pela visitação não se prontificou a ajudar. “Quando eu cheguei muito nervosa, o responsável disse que quando a pessoa faz o agendamento e chove, no termo ela sabe que, se chover, tem que sair, mas ele não mandou ninguém sair e disse que isso não era problema do parque”, revela.

Cabeça d’água

Cabeça d'água é o fenômeno de aumento rápido e repentino da água em cachoeiras, rios e lagos, devido às chuvas intensas nas cabeceiras ou em trechos mais altos do curso d'água.

Conforme a Defesa Civil, as pessoas devem evitar frequentar esses lugares em períodos chuvosos. E, se optar por ir não ir sozinha. É mais seguro dar preferência a lugares com a presença de guarda-vidas e pesquisar as condições meteorológicas da região.

A presença de folhas, o aumento do volume do som de cascata e a mudança da cor da água são alguns dos indicativos do fenômeno. Ao notar a presença de qualquer um desses sinais, deve-se sair imediatamente da água.