Usinas geradoras de oxigênio são transportadas para Manaus neste sábadoDivulgação/FAB

REFORÇO - A Força Aérea Brasileira (FAB) partiu de Guarulhos às 12h53 deste sábado (16), transportando duas usinas de produção de oxigênio, rumo a Manaus. Os equipamentos são alimentados com energia elétrica e possuem tecnologia para processar o ar atmosférico e realizar a liberação de oxigênio a nível medicinal.

O Ministério Público também enviou à capital do Amazonas uma carga de 80 cilindro de oxigênio para ajudar a abastecer as unidades de saúde.

Colapso na saúde

Desde o fim do ano passado, o Amazonas vive um avanço nos números da doença e está com quase todos leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ocupados no estado, tanto na rede pública como na privada.

Além disso, por causa da alta demanda, a rede do estado tem sofrido, principalmente nos últimos dias, um desabastecimento em larga escala de oxigênio hospitalar, insumo essencial para manter a respiração de pacientes internados com a covid-19 e outros problemas. O governo estadual já transferiu, até o momento, cerca de 230 pacientes para outros estados.

Até o momento, segundo o Ministério da Saúde, foram recrutados 198 médicos, 562 enfermeiros, 1.212 técnicos de enfermagem, 313 fisioterapeutas e 263 farmacêuticos para atuar nos serviços da rede pública de Manaus. No total, o ministério informou ter contratado 30.196 profissionais para reforçar o atendimento.

Na última quinta-feira (14), o governador do Amazonas, Wilson Lima, anunciou medidas mais drásticas para conter a disseminação da covid-19 no estado, incluindo toque de recolher para a população, além do fechamento de uma série de atividades e comércio não essenciais.