Governo de SP investe na compra de equipamentos de segurança para professoresFolhapress

VOLTA ÀS AULAS – O Governo do Estado de São Paulo realizou na manhã desta quarta-feira (13), uma videoconferência para os prefeitos e secretários de educação para falar sobre a volta às aulas e apoio aos municípios na Primeira Infância. Na ocasião, o governador João Dória reafirmou o compromisso, independente de questões partidárias e ideológicas.

“Fizemos questão de promover esse encontro para reafirmar o apoio do governo de SP aos programas de educação. Quero ressaltar a importância da retomada gradual das aulas. A orientação é baseada em experiências internacionais, principalmente de países com ensino de referência”, enfatizou.

O governador também anunciou investimento extra para a secretaria de educação. O valor será destinado para compra de máscaras para professores e gestores, termômetros à laser, totens de álcool em gel, sabonete líquido e álcool em gel. Além disso, uma parcela considerável das escolas estaduais teve as zonas de banheiros reformadas.

Elogios ao Plano São Paulo

Apesar de não ser o tema da reunião, Dória aproveitou a oportunidade para relembrar a importância de respeitar regras do Plano São Paulo. “Sem saúde, não há recuperação para o paós. Então temos que ser fiéis às recomendações de um grupo que entende do assunto”, disse.

De acordo com o governador, o comitê de contingenciamento só deu orientações corretas ao longo desses 11 meses. “Ontem, concedi entrevista de número 60 a veículos internacionais. O repórter alemão colocou São Paulo como um estado referência ao combate a covid-19. Nos tornamos uma referência internacional”, destacou.

Dória enfatizou que a obediência aos cientistas foi fundamental. E que todas as decisões de todos os setores foram baseadas na ciência e na educação.

Volta às aulas 

A retomada às aulas acontecerá 1º de fevereiro. Os alunos serão recebido em até duas aulas presenciais por semana, independentemente da situação da pandemia.

O secretário de educação, Rossieli Soares, informou que nos primeiros 15 dias de aula, as escolas vão receber até 35% dos alunos matriculados a cada dia. Será feito um rodízio para que os estudantes frequentem as unidades 1 ou 2 vezes por semana, de acordo com a organização adotada.