Jovens de Santos denunciam golpe do "fake Uber" ao pedirem corrida por aplicativoArquivo/Agência Brasil

SANTOS - Pelo menos cinco estudantes de Santos usaram as redes sociais para fazerem um alerta sobre possíveis golpes envolvendo carros por aplicativo. De acordo com as jovens, elas solicitaram corridas, porém os veículos que atendiam ao chamado não tinham as mesmas características apontadas pelo sistema do Uber.

O #Santaportal entrou em contato com duas estudantes que passaram por esse tipo de situação.

O caso da estudante Rayna Mendes, de 21 anos, aconteceu no dia 30 de setembro. A jovem disse ter pedido um Uber na Praça das Bandeiras, no bairro Gonzaga, para ir até o local que ela precisava. “Eu pedi o Uber e assim que aceitaram a viagem, ele mandou uma mensagem no chat dizendo que o carro e a placa eram outros. No começo eu não achei estranho, mas como ele estava demorando para chegar eu fui chamar umas amigas minhas e um amigo meu, perguntando se era normal isso. Lembrei de casos que aconteceram de golpes e foi então que eu cancelei”, contou Rayna.

Ela destaca, entretanto, que ao pedir uma nova corrida, o mesmo motorista apareceu para ela no aplicativo. “Pedi outro carro logo em seguida e novamente o mesmo cara apareceu com a viagem. Eu cancelei e, então, ele passou na frente do ponto na Praça das Bandeiras, que era onde eu estava e olhou para todos. Mas como ele não sabia quem era Rayna ele saiu com o carro dali. Depois disso, eu esperei cinco minutos e pedi outra corrida. Na última vez, veio certinho”, disse.

Rayna falou que o alerta dos amigos foi importante para que ela percebesse que havia algo errado. Segundo ela, seu maior medo era ser vítima de algum tipo de violência. “Eu fiquei com medo, o maior medo que eu tenho é ser abusada. Hoje em dia é difícil ser mulher”, afirmou a estudante, que não registrou Boletim de Ocorrência.

A outra jovem ouvida foi Erika de Almeida Oliveira, de 22 anos. O relato dela apresenta semelhanças com o que ocorreu com Rayna.

“Eu pedi o carro do aplicativo Uber e nisso eu já estava ciente que aconteceu os ocorridos com duas amigas. E fiquei de olho enquanto ele vinha. Aí apareceu um carro que eu não vou saber dizer a marca nem a placa, porque estava um pouco distante de mim, mas vi que a cor desse veículo era cinza. Ele olhou para mim, aí eu olhei para o aplicativo e meu carro estava a quatro quadras ainda. Aí, ele começou a me chamar e disse o meu nome. Fiquei em pânico, mas enfim, virei a cara. Daí o carro certo veio e eu entrei”, revelou Erika, cujo episódio ocorreu no dia 2 de outubro.

Segundo Erika, mesmo após ela entrar no carro do motorista certo, o condutor do outro veículo ficou a observando. Ela admitiu ter ficado com medo. “O carro que entrei passou por ele e ele ficou olhando para mim. Nesse momento, fiquei com um pouco de medo por ter acontecido algo parecido com pessoas próximas de mim. Se uma pessoa não prestasse atenção, poderia entrar e correria perigo”, comentou.

Erika, assim como Rayna, não registrou o caso na delegacia. “Na hora eu não pensei, mas é normal. Quando você está na situação, não pensa direito na hora. Porém, se eu tivesse anotado a placa, eu teria feito o Boletim de Ocorrência. Mas como não consegui fazer isso, acabei deixando de lado”, destacou.

As polícias Militar e Civil e orientam que os usuários fiquem sempre atentos aos dados cadastrados no aplicativo. Antes de embarcar, a orientação é que as pessoas confiram se as informações do condutor e do veículo são condizentes com as passadas pelo serviço. Caso contrário, o usuário não deve embarcar no automóvel.

Para esse tipo de situação recomenda-se acionar o 190 e o registro de Boletim de Ocorrência em uma unidade policial ou delegacia eletrônica.

Uber se manifesta
O #Santaportal  entrou em contato com a Uber, que afirmou tratar todas as denúncias com a máxima seriedade e avalia cada caso individualmente. No entanto, até onde foi possível apurar, pelos dados compartilhados pela reportagem, as viagens das usuárias foram realizadas normalmente.

"Ressaltamos sempre a importância de reportar qualquer incidente à Uber pelo próprio aplicativo, para que possamos tomar as medidas necessárias. Temos uma equipe disponível 24 horas por dia, sete dias por semana, especialmente treinada para responder a qualquer dúvida ou problema relacionado a incidentes na plataforma", diz trecho da nota.

"Como parte de suas ferramentas de segurança, usuários (as) do aplicativo sempre recebem notificações para conferir se as informações sobre o modelo do veículo, a placa do carro, o nome e a foto do motorista parceiro que chega ao local de embarque são as mesmas que estão no app. Caso alguma informação não esteja correta, o usuário deve cancelar a viagem e pode reportar o ocorrido pelo próprio aplicativo. Além disso, por meio da ferramenta U-Código, é possível optar por receber uma senha de quatro dígitos, que deve ser dita ao motorista para que ele consiga iniciar a viagem no aplicativo, confirmando que os dois estão na viagem correta", conclui o comunicado.