Santos terá que pagar R$ 538 mil a membro da comissão técnica de SampaoliIvan Storti/Divulgação Santos FC

AÇÃO NA JUSTIÇA - O Santos perdeu, em primeira instância, ação na Justiça para o preparador físico Marcos Fernandez, da comissão técnica de Jorge Sampaoli, hoje no Atlético-MG. 

O processo foi movido contra o Peixe pelo não pagamento do FGTS nos meses de agosto, setembro, outubro e novembro de 2019. Com a decisão, que ainda cabe recurso, o time da Vila terá que pagar R$ 538 mil ao membro da comissão técnica do treinador argentino.

Assim como os demais membros da comissão técnica de Jorge Sampaoli, Marcos Fernandez e sua defesa, feita pelos advogados Gustavo Amorim e Paulo Faia, alegaram não recolhimento de FGTS para pedir a rescisão contratual com o Santos e cobrar a multa prevista no documento.

Com isso, a diretoria do Peixe terá de indenizá-lo com seis meses de salário, mais todos os custos do processo.   

Além do preparador físico, os auxiliares-técnicos Jorge Desio, Carlos Desio e o preparador físico Pablo Fernandez, pai de Marcos, também ajuizaram ações na Justiça do Trabalho contra o Santos pedindo rescisão indireta do contrato de trabalho pelo não pagamento de mais de três meses de FGTS. 

Todos são representados juridicamente pelo escritório Amorim & Fisori Sociedade de Advogados, de Santos. Assim como Jorge Sampaoli, Marcos, Jorge, Carlos e Pablo trabalham atualmente na comissão técnica do Atlético-MG.