Decotelli se reúne com Bolsonaro e afirma que segue no cargoReprodução
EDUCAÇÃO - Carlos Eduardo Decotelli, ministro da Educação, afirmou que continuará no cargo. Ele, que concedeu entrevista coletiva na porta do Ministério, esteve reunido hoje com o presidente Jair Bolsonaro, que perguntou a respeito do currículo dele. São três problemas que surgiram: denúncia de plágio na dissertação de mestrado da Fundação Getúlio Vargas (FGV); declaração de um título de doutorado na Argentina, que não foi obtido; e pós-doutorado na Alemanha, não realizado.

"Ele (Bolsonaro) queria saber detalhes sobre a minha vida de 50 anos como professor em todas as entidades do Brasil. Então, ele pegou a estrutura de detalhes, a estrutura de trabalhos no Brasil, Norte, Sul, Leste, Oeste, 40 anos de trabalho na Fundação Getúlio Vargas, Fundação Dom Cabral, IBMEC..Então, ele queria saber esse lastro de vida como professor", explica Decotelli. "Ele [Bolsonaro] perguntou: 'Como é essa questão de detalhe acadêmico e doutorado, pós-doutorado, pesquisa de mestrado? Como é essa estrutura de inconsistência?'. Ele queria saber o que é isso, então, eu expliquei a ele", completa o ministro, dizendo ainda que Bolsonaro considera encerrado o assunto do doutorado.

O ministro respondeu o seguinte sobre a denúncia de plágio. "É possível haver distração? Sim, senhora. Hoje, a senhora tem mecanismos para verificar, softwares, se a senhora teve ou não inconsistência. Mas naquela época, pela distração...", conta. "Não houve plágio porque o plágio é considerado quando o senhor faz 'control C, control V'. E não foi isso."

Bolsonaro
Depois da reunião, o presidente Jair Bolsonaro fez uma postagem em sua conta no Facebook, distribuída em tópicos, a respeito de Carlos Eduardo Decotelli. Leia a íntegra:

- Desde quando anunciei o nome do Professor Decotelli para o Ministério da Educação só recebi mensagens de trabalho e honradez.

- Por inadequações curriculares o professor vem enfrentando todas as formas de deslegitimação para o Ministério.

- O Sr. Decotelli não pretende ser um problema para a sua pasta (Governo), bem como, está ciente de seu equívoco.

- Todos aqueles que conviveram com ele comprovam sua capacidade para construir uma Educação inclusiva e de oportunidades para todos.