A 71ª Regata Santos-Rio ficará na memória do público santista que lotou o Deck do Pescador, na Ponta da Praia, para aplaudir as tripulações no desfile dos barcos e vibrar com as manobras da Esquadrilha da Fumaça. Na manhã desta sexta-feira (22), os caças da Força Aérea Brasileira sobrevoaram a flotilha várias vezes, encantando os velejadores e o público, que transformou o deck em “arquibancada da vela”.





Após o momento único, os 30 barcos rumaram para o meio da Baía de Santos, de onde largaram ao meio-dia rumo ao Rio de Janeiro com vento sueste de 11 nós (20 km/h). A semana na Baixada Santista foi nublada e chuvosa, mas nesta sexta-feira, até o Sol decidiu aparecer e abrilhantar as ações que envolveram o dia da largada.





A previsão do vento subindo de sueste para leste e aumentando de intensidade ao longo da noite, deve fazer com que as tripulações naveguem na maior parte do percurso no contravento, o que aumenta os desafios. O medalhista olímpico Kiko Pelicano, timoneiro do Duma prevê dificuldades. “Será uma regata dura, que exigirá muito da tripulação. Em 2020 eu não corri, mas as rajadas de leste passaram dos 30 nós. Espero que neste ano seja mais suave”, desejou o velejador do Iate Clube do Rio de Janeiro (ICRJ).





O parceiro de Kiko na conquista do bronze olímpico na Classe Tornado nos Jogos de Atlanta (1996), Lars Grael, segue para o Rio no comando do Avohai. A dupla possui cerca de 20 participações na Santos-Rio. conforme o tempo de regata, é provável que algumas tripulações cheguem ao Rio de Janeiro impulsionadas pelo vento em popa da frente fria prevista para entrar no domingo.





Manhã de festa para a vela 





“O dia foi perfeito. O ápice do desfile foi a apresentação da Esquadrilha da Fumaça, uma surpresa para o público e tripulações. A largada também foi perfeita, com todos respeitando a linha de partida. Agora, é esperarmos que todos cheguem seguros ao Rio, buscando as melhores condições para velejar”, comemorou o velejador e assessor náutico do Iate Clube de Santos (ICS), Odoardo Lantieri.





O assessor de diretoria de Vela do ICRJ, Ricardo Baggio, o Kadu, afirma que os velejadores serão recepcionados de braços abertos. “A largada foi bem tranquila e espero que assim seja a regata. Na chegada, o ICRJ está preparado para colocar toda sua estrutura à disposição das tripulações. Desejo que todas permaneçam para o Circuito Rio e para as confraternizações, até o ano passado suspensas devido à pandemia”. A Regata Santos-Rio abre o Circuito Rio de Vela Oceânica, que ainda se estenderá de 30/10 a 02/11.