CORONAVÍRUS - Pesquisadores da Austrália divulgaram nesta quinta-feira o resultado de um estudo em que demonstram como o uso das máscaras de tecido é importante para contar a dispersão de gotículas emitidas durante a fala, tosse ou espirro. Além disso, a análise, publicada no períódico Thorax, também comprova que os equipamentos confeccionados com duas camadas apresentam mais eficiência do que as que possuem apenas uma camada.





Em resumo, as conclusões são as seguintes: máscaras de pano reduzem a propagação de gotículas, mesmo com uma só camada; máscaras de pano com duas camadas reduzem ainda mais a emissão de gotículas; máscaras de uma camada são melhores do que nenhuma cobertura no rosto





No estudo, os pesquisadores usaram máscaras feitas com tecido de algodão de camisetas. A de uma camada foi feita pelo método sem costura e a de duas seguiu as recomendações do Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos. A máscara cirúrgica é da Bao Thach, com três camadas.





De acordo com o Ministério da Saúde do Brasil, a máscara caseira tem de seguir estas especificações: ter, pelo menos, duas camadas de pano; ser individual; serem feitas com algodão, tricoline, TNT ou outros tecidos; devem ser bem higienizadas (o ministério indica água e sabão ou água sanitária na lavagem após o uso); e serem feitas nas medidas corretas, cobrindo totalmente a boca e nariz e serem bem ajustadas ao rosto, sem deixar espaços nas laterais.