O governador João Doria anunciou nesta quarta-feira (16) que a partir de 1º de agosto as escolas de São Paulo poderão ampliar a capacidade de atendimento de alunos. O anúncio foi feito durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, zona oeste de São Paulo, sobre medidas contra o coronavírus.






"Neste novo plano, a partir de agosto cada escola deverá determinar a capacidade de acolhimento total de alunos de acordo com a sua realidade", disse Doria.





O secretário da Educação, Rossieli Soares, disse que não haverá mais limitação da capacidade por percentual.
"Não teremos mais percentual limitador, mas sim dentro da realidade de cada uma das escolas respeitado um metro de distanciamento, olhando para a capacidade física e não de matrícula, poderemos ter todos os nossos estudantes dentro das escolas com outra regra de funcionamento.





Soares citou a vacinação dos profissionais da saúde, testagem e protocolos de segurança nas escolas.





O governo diz que comprará 3 milhões de testes. A testagem será de casos sintomáticos, de pessoas que tiveram contato com pessoas com a doença e um monitoramento bimestral para a prevalência do vírus dentro da rede.





Rossieli Soares afirmou que, no caso do ensino superior, novos cursos poderão incluir até 100% de seu funcionamento presencial, como os de saúde coletiva, saúde pública e veterinária.





Segundo o governo, até o momento 119.905 pessoas morreram de coronavírus no estado de São Paulo. As taxas de ocupação são de 82% (estado) e 79% (Grande SP).





O secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, apontou que as ocupações vêm caindo. "Temos hoje nas nossas UTIs 11.013 internados. Isso é importante porque comparativamente a 1º de junho, que nós tínhamos 10.992 pacientes. Isso mostra o quanto, apesar de patamares elevados, estamos tendo respostas significativas", afirmou.





Em número de casos, seguindo a média diária semanal, houve queda de 5,9% nesta semana. No entanto, as internações subiram 2,6%. "O aumento das internações ocorreu em enfermaria e não em unidades de terapia intensiva. Isso também de alguma forma reflete que as pessoas mesmo que internando estão internando com formas menos graves do que víamos anteriormente", disse.





Já os óbitos aumentaram 26,6%. No entanto, os óbitos do feriado prolongado podem ter ficado represados na semana anterior, gerando este aumento.





O governo também anunciou que abriu o pré-cadastro para a realização de testes clínicos para a Butanvac, uma vacina desenvolvida no Butantan. Inicialmente, participarão 418 voluntários.





Os estudos serão feitos pelo Hospital das Clínicas da USP de Ribeirão Preto.