Após o tenista Novak Djokovic ter tido seu visto de entrada cancelado pela segunda vez pelo governo da Austrália, um juiz do país decidiu nesta sexta-feira (14) suspender a expulsão do sérvio.





Pouco tempo depois do ministro da Imigração da Austrália, Alex Hawke, ter anunciado o cancelamento, Djokovic teria pedido à justiça local que bloqueasse sua expulsão do país. O tenista quer disputar o primeiro Grand Slam da temporada de 2022 e até foi incluído no sorteio oficial da competição.





Anthony Kelly, juiz que aceitou um recurso de Djokovic para bloquear sua expulsão da Austrália, agendou uma audiência de emergência após a decisão do governo da nação.





De acordo com o ministro da Imigração da Austrália, a decisão foi tomada por "motivos de saúde e ordem". Ele ainda revelou que "considerou cuidadosamente" as informações recebidas pelo Departamento de Assuntos Internos, pelas autoridades de fronteira do país e pelo tenista sérvio.





Scott Morrison, primeiro-ministro da Austrália, divulgou um comunicado dizendo que a medida do governo foi de "interesse público". Além disso, o político pediu para que os "sacrifícios" da população durante a pandemia de Covid-19 "sejam protegidos".





O cancelamento do visto pode barrar a entrada de Djokovic no país pelos próximos três anos e o impedir de disputar o Aberto da Austrália. No entanto, o caso pode tomar um rumo diferente com a medida confirmada pela justiça.





Djokovic, que nunca escondeu sua postura "antivax", teve seu visto cancelado pela primeira vez por não apresentar justificativa médica válida para não comprovar a vacinação contra a covid-19.





O tenista chegou em Melbourne no última dia 5, em busca do seu 10º título no Aberto da Austrália e de seu 21º troféu de Grand Slam, o que o isolaria como maior vencedor da história, à frente de Roger Federer e Rafael Nadal.





Governo





Segundo informações do advogado de Djokovic, o governo da Austrália concordou nesta sexta-feira em suspender a expulsão do tenista sérvio, conforme estabelecido pela Corte Federal do país.