O brasileiro Raphinha é um dos nomes mais comentados no mercado da bola internacional antes do começo da temporada 2022/2023. Depois de dois anos no Leeds United, o atacante de 25 anos tem propostas de gigantes como Barcelona e Chelsea, mas Raphinha vive um dilema sobre a possibilidade de saída.





Segundo apurou o UOL Esporte, Raphinha tem medo de perder espaço na seleção brasileira a menos de cinco meses para a Copa do Mundo do Catar. Ele tem sido titular, mas sabe que a concorrência na posição é forte.





Esse temor de Raphinha passa pelos dois cenários que se desenham: tanto ficar, quanto sair do Leeds no segundo semestre. Caso fique, o jogador e seu estafe têm certeza que ele será titular e influente no time e terá toda a estrutura possível para chegar bem ao Mundial. O problema nesse caso é que o Leeds brigou contra o rebaixamento na temporada passada do Campeonato Inglês e tem sido um time menos competitivo em alto nível do que os clubes dos jogadores que irão disputar posição com ele na seleção.





Por isso, vestir as camisas de Barcelona ou Chelsea se apresenta como uma boa ideia por serem clubes de ponta no cenário internacional. O problema é que neste cenário Raphinha não tem certeza que vai se adaptar rapidamente ou se terá os minutos em campo e jogos como titular que justifiquem a convocação para a Copa e a titularidade na seleção. Seria um recomeço na carreira muito perto do Mundial e sem garantias de sucesso.





Esse dilema tem tirado o sono de Raphinha e das pessoas de seu entorno nas últimas semanas, mas é igualmente tratado como um problema bom. Afinal, Barcelona e Chelsea estão atrás dele.





Vai pra onde?





O Chelsea acertou com o Leeds nos bastidores a transferência de Raphinha por um valor entre 55 e 60 milhões de libras (R$ 350 e 385 milhões). A maior parte da quantia seria paga de forma imediata, o que agrada ao Leeds. O problema é que a negociação travou na segunda parte, que é o acerto com o jogador. Raphinha não deu uma resposta final até agora.





A explicação para a negociação com o Chelsea ainda não ter sido fechada é que o brasileiro deseja jogar no Barcelona. Fã de Neymar e Messi, ele cresceu com o clube espanhol no imaginário, como se fosse um sonho de vida vestir a camisa do clube catalão. Agora, existe possibilidade real de esse passo ser dado e ele quer cumpri-lo, tanto é que já acertou sua parte verbalmente para um vínculo de cinco temporadas. O obstáculo passa a ser o Leeds.





A proposta do Barcelona é menor, de mais ou menos 50 milhões de euros (aproximadamente R$ 280 milhões), com dispositivos de bonificação ao longo do vínculo. O Leeds queria receber mais e no ato e não aceitou, com a ideia de respeitar o acordo com o Chelsea. Por sua vez, os Blues tratam o caso com paciência, mas, de acordo com a imprensa internacional, já fizeram sondagens para tirar do Burnley o atacante Maxwel Cornet, que tem características parecidas com as de Raphinha.





Apesar de Chelsea e Leeds estarem irredutíveis, o estafe de Raphinha decidiu esperar mais um pouco pelo Barcelona. Quem cuida da carreira do atacante da seleção é o ex-meia Deco, que tem relação próxima com a diretoria do clube catalão e espera a formalização de uma nova proposta com valores superiores nos próximos dias. É uma última tentativa.





O Arsenal já teve interesse declarado em Raphinha e observa com atenção o limbo que virou a definição do futuro do atacante pensando se vale a pena entrar na jogada. Nada oficial até o momento.





Enquanto isso, já é tratada como realidade a possibilidade de permanência de Raphinha no Leeds. O elenco viaja para pré-temporada na Austrália no dia 10 e, se não tiver definição até lá, ele embarca.





O Campeonato Inglês 2022/2023 começa em 6 de agosto, e o Leeds conta com o jogador brasileiro para fazer uma boa largada e evitar o novo risco de rebaixamento. A promessa é de que o atleta gaúcho seguirá com status elevado, poderá chegar à Copa do Mundo em totais condições de render bem e ainda jogará num time mais forte, pois há investimento em reforços, como o volante Marc Roca, ex-Bayern de Munique.