Anteriormente previsto como um longa-metragem, "The Beatles: Get Back", de Peter Jackson, se tornou uma série documental, dividida em três episódios. O anúncio foi feito nesta quinta (17) pelo Disney+, serviço de streaming em que a obra estará disponível.





A série reúne mais de seis horas de filmagens inéditas da banda britânica. Os episódios estreiam nos dias 25, 26 e 27 de novembro.





Foram analisadas mais de 60 horas de vídeos inéditos e mais de 150 horas de áudios nunca reproduzidos publicamente.





Jackson, cineasta aclamado por "O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei" -vencedor de 11 prêmios no Oscar-, afirmou que as pessoas verão os Beatles "com uma intimidade que nunca imaginaram ser possível".





"É um relato detalhado do processo criativo, com a elaboração de canções icônicas sob pressão, em meio ao clima social do início de 1969. Mas não é nostalgia. É cru, honesto e humano", diz o diretor.





Entre os conteúdos exclusivos, "The Beatles: Get Back" traz o ensaio de 14 canções que nunca chegaram a ser lançadas pela banda, assim como exibe na íntegra o último show ao vivo dos Beatles. A série conta ainda com o apoio dos ex-Beatles Paul McCartney e Ringo Starr, além de Yoko Ono Lennon e Olivia Harrison.





"Esta coleção fenomenal de filmagens nunca vistas antes oferece um olhar sem precedentes sobre a camaradagem íntima, composição genial e impacto indelével de uma das bandas mais icônicas e culturalmente influentes de todos os tempos, e mal podemos esperar para compartilhar 'The Beatles: Get Back' com fãs de todo o mundo", disse Bob Iger, presidente-executivo da Walt Disney Company.





Antes da estreia da série, será lançado o livro "The Beatles: Get Back", em outubro. A obra terá transcrições de conversas gravadas dos Beatles e centenas de fotos exclusivas.