O baterista Pete Parada, 47, foi demitido da banda de punk rock The Offspring, na qual estava desde 2007, por escolher não se vacinar contra a covid-19. A notícia foi dada pelo músico em um longo desabafo nas redes sociais dele na tarde desta segunda-feira (2).





Parada contou que pensando em seu histórico tanto no que está relacionado a saúde, quanto no aspecto pessoal, o médico que o acompanha o orientou a não se vacinar. O artista salientou ainda que os efeitos colaterais para aqueles que, como ele, são portadores da Síndrome de Guillain-Barré deixam dúvidas se ele sobreviveria a imunização.





A doença é um distúrbio neurológico em que o sistema imunológico passa a atacar o sistema nervoso, podendo causar alterações motoras, atrofias, fraqueza gradual nas pernas, braços e troncos e, em alguns casos, podendo levar à total paralisia. No Brasil, a Anvisa divulgou dia 28 de julho, que haviam apenas 34 registros de pessoas que tiveram o efeito colateral descrito por Parada, o que não justificaria suspender a imunização contra a covid-19.





"Já que não posso seguir com o que tem se tornado obrigação na indústria, foi decidido que não é seguro para as pessoas ficarem perto de mim no estúdio ou em turnê. Eu digo isso porque não estarei presente nos próximos shows", esclareceu. O baterista aproveitou para defender que as pessoas tenham o direito de decidir se querem ou não serem vacinadas. Ele finalizou agradecendo ao apoio dos fãs e avisando que está em um novo projeto musical com a filha, que deve ser lançado em breve.





"Espero que possamos aprender a abrir espaço para todas as perspectivas e medos que estão acontecendo atualmente", disse. "Agradeço profundamente sua compreensão e apoio enquanto minha família e eu descobrimos um novo caminho a seguir", concluiu.