Divulgação Divulgação

De trás para a frente

A Volkswagen entrou no universo dos SUVs mais, digamos, populares e acessíveis de uma maneira bastante agressiva. Tanto é verdade que na terça-feira, dia 30, a marca disponibilizou 1 mil unidades adicionais para a pré-reserva do Nivus na sua rede de concessionárias.

Os benefícios oferecidos foram os mesmos do primeiro lote, entregue logo após o lançamento do modelo na semana passada: um ano de seguro gratuito, um ano de mensalidade para passar em pedágios e um ano do aplicativo de audiobook 12 Minutos.

Além disso, a Volkswagen Financial Services mantém a condição especial que permite que o cliente fique um ano sem pagar parcelas (carência de 12 meses para início dos pagamentos, 35 parcelas regulares e uma parcela final de 30%, com taxa de 1,09%).

De acordo com a Volkswagen, o volume adicional estará disponível na rede de concessionárias. Para concretizar a pré-reserva, cada concessionário cobrará um valor de entrada a ser definido de loja para loja.

A marca atribui a prorrogação ao fato de fechar 1.200 vendas em poucas horas na última sexta-feira, quando as pré-vendas foram abertas, mas tem um outro fator aí, citado inclusive pela alta cúpula da montadora: a Volkswagen demorou 12 anos para entrar no mercado em que Renault Duster, Honda HR-V, Nissan Kicks, Hyundai Creta e outros caminham há tempos. Quer dizer, havia a necessidade de algo impactante para marcar presença e que fosse além do produto em si.

No entanto o produto em si pode ser um diferencial. Primeiro, porque o Nivus é feito na plataforma MQB-A0, a mesma do Polo e que vem sendo um dos motes do novo momento da marca. É uma plataforma que, a julgar pelos últimos lançamentos, deixa os carros bastante interessantes. Segundo, porque a confiança na marca segue a mesma de outros tempos, ainda que falemos dos tempos em que havia a marca e outras três.

Os inéditos tempos inter e pós-pandêmicos também darão o ar da graça no sentido de terem igualado as condições para todo mundo.

Pode ser a hora da Volkswagen dizer “cheguei tarde, mas cheguei” e colocar o Nivus na linha de frente para tentar tomar a dianteira nas vendas.

Aceleremos!!!

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Paulo Rogério
  • Postado em: quinta-feira, 02 jul 2020 23:47Atualizado em: quinta-feira, 02 jul 2020 23:48
  • Volkswagen   Nivus   benefícios   
Divulgação Divulgação

Arrizo vem arisco. E há risco

Poucas vezes o mercado automotivo viu uma marca apresentar planos tão ousados e sem medo de ser feliz em meio a um lançamento. A Caoa Chery entrou para esse seleto grupo tendo total conhecimento dos riscos a que se submete e, mesmo assim, com muita disposição de viver perigosamente.

A marca apresentou em live o Arrizo 6 2021. E então surge o primeiro questionamento no que tange à carroceria do modelo: em tempos de crescimento de crossovers e SUVs, a marca aposta uma boa parte de seu orçamento em um sedã médio, aquele mesmo segmento que, um dia disseram, estava com os dias contados. Tá, não é bem o que dizem as contas, que responsabilizam a categoria por 25% dos emplacamentos em território brasileiro em 2019, mas atualmente os altos falam mais alto que os compridos, isso é fato.

Então a marca sobe um degrau na escada da ousadia: entra em um nicho dominado amplamente pelo Toyota Corolla, para a tristeza do Honda Civic, que vem em segundo lugar. Então aparecem Chevrolet Cruze, Volkswagen Jetta, Kia Cerato – e seu motor 2.0 – etc etc etc. Aí vem o Arrizo e chega pedindo para chegarem um pouco para lá, pois ele quer um espaço.

Aí chega a petulância derradeira: a Caoa Chery disse abertamente que o alvo é o Volkswagen Jetta. Compreensível no sentido de que os dois sedãs têm a mesma configuração de motor: o 1.5 Turbo Flex, que a Volkswagen chama de TSI, mas no final é tudo injeção direta.

Ao que tudo indica, o Arrizo 6 vai andar legal com esse motor. Apesar de ser um sedã médio, ele é leve. Não pesa nem 1,4t. E com o câmbio CVT simulando nove velocidades, espera-se um bom desempenho.

No preço, o Arrizo 6 chega na faixa do segmento. Tem um preço promocional abaixo dos R$ 100 mil, mas logo custará R$ 108.750. Aí bate com Civic e Corola. Aí...é melhor focar o Jetta mesmo. Ou estabelecer a própria meta e tentar superá-la. Mas aí não valeria a pena o investimento.

Aceleremos!!!

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Paulo Rogério
  • Postado em: sexta-feira, 26 jun 2020 21:12
  • Arrizo   Caoa Chery   risco   
Divulgação Divulgação

Tem para quem tem

Não tem para quem tem. Tá ficou estranho. Vamos começar novamente...não há crise para quem tem dinheiro. Simples assim e absolutamente verdadeiro. Pode ter problema político, pandemia, concessionárias fechadas e quem tem lá seus fartos recursos está pensando no próximo carro. A propósito: a coisa já funcionava nessa base na época da hiperinflação. Quem tem seus 40 anos sabe do que estamos falando.

Tem gente para comprar e tem gente para vender para um público ávido por novidades. E depois da terça-feira muito louca (falamos sobre o dia na última coluna), chegaram ao mercado dois produtos premium. O Volvo XC40 T5 Hybrid e o Mitsubishi Pajero Sport têm atributos tentadores e valores correspondentes às características.

Se alguém quiser brincar dizendo ‘um de cada, por favor”, já avisamos que é bom separar uns R$ 550 mil entre valores dos modelos, documentação etc. São R$ 245.950 pelo XC40 híbrido da Volvo e R$ 291.990 na Pajero Sport. No caso do SUV da Mitsubishi, tem uma versão mais incrementada por R$ 318.990.

Nem é preciso dizer que os carros só faltam falar. Bom fale quem comprar, porque há comandos de voz. De resto, têm tudo: controle de velocidade de cruzeiro (adequa a distância em relação ao carro da frente e aciona os freios quando necessário sem intervenção do motorista), leitor de faixa (corrige o carro que muda de faixa sem acionamento da seta) etc etc etc.

Me chama a atenção o motor do XC40. Um três cilindros 1.5 com 180 cv de potência. Vai trabalhar junto com um motor elétrico de 82 cv e o carro tem, no total, 262 cv. Mas esse motor a combustão se apresenta como tentador, do tipo que leva o carro a acelerar muuuuuuito sem beber nada. Bom a própria Volvo prevê uma autonomia combinada de 800 km.

No Pajero Sport o motor já é um velho conhecido e altamente chamativo. O 2.4 litros turbodiesel entrega 190 cv de potência e 43,9 kgfm de torque. Anda demais e bebe de menos. Pode acreditar.

Sim, vai ter público para comprar. A Volvo espera vender de 500 a 550 até o fim do ano. A Mitsubishi já tem um público cativo, que só vai trocar um Pajero por outro. Que crise, que nada...

Aceleremos!!!

blog20206183110264.jpg

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Paulo Rogério
  • Postado em: quinta-feira, 18 jun 2020 17:27Atualizado em: quinta-feira, 18 jun 2020 17:31
  • Volvo   Pajero   preços   
Divulgação Divulgação

Sessão dupla

Terça-feira muito louca. Poderia ser a paródia de uma comédia de bastante sucesso no cinema, mas é o mais puro retrato da realidade agendada para o próximo dia 16. E se não teremos a beleza da Lindsay Lohan ou o talento da Jamie Lee Curtis nas telas, vamos ver, por outro lado, grandes novidades para o mercado automotivo em imagens via internet. São carros grandes, que não vão custar pouco e vão, sem dúvida nenhuma provocar impacto em seus segmentos.

Vai ser tudo por live.

Vamos por ordem de agendamento: às 11 horas será apresentado o Volvo XC40 T5 Plug-In Hybrid R-Design. Se a Volvo costuma acertar nos carros a combustão, nos híbridos acerta mais ainda. Em novembro de 2019 andamos no XC60 T8. Ali são 407 cv no motor, resultado da soma entre combustão (320 cv a gasolina) e um elétrico (87 cv), que ficam posicionados lado a lado sob o capô.

Então, às 14h30, é a vez da Mitsubishi Pajero 2021. A de 2020, só para dar um spoiler, traz um motor 2.4 litros a diesel e a uma transmissão automática de oito velocidades, com paddle shifts. São 190 cv de potência e 43,9 kgfm de torque. As rodas são de 18”. Tudo isso com toda a pegada 4x4 possível. É um carro favorecido também pelas dimensões. São 4,78 m de comprimento e 2,8 m de entre-eixos. O ângulo de ataque é de 30º, o de saída 24,2º e a altura livre do solo é de 218 mm.

Então, vamos a eles. Carros altos, com altas novidades...não, não é texto para chamada da Sessão da Tarde, mas o mercado espera por um roteiro surpreendente.

Aceleremos!!!

blog20206125040831.jfif
Divulgação

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Paulo Rogério
  • Postado em: sexta-feira, 12 jun 2020 10:42Atualizado em: sexta-feira, 12 jun 2020 16:50
  • Lançamentos   carros   lives   
Divulgação Divulgação

A Strada da Vida

A Fiat confirmou para o dia 26 o lançamento oficial da Strada. Atenção ao termo “oficial”, porque alguns veículos da mídia automotiva já tiveram acesso à picape em abril. Tudo bem, foi a época em que o grande evento aconteceria na fábrica da marca, em Betim, se não fosse o tal coronavírus e seus efeitos ainda devastadores. O lançamento agora será por meio de uma live e o primeiro test drive acontece...algum dia...que esperamos ser o quanto antes.

Há uma expectativa em torno da Nova Strada, que não se dá somente pela transformação à qual a picape passou e que a deixou mais próxima da Toro do que da geração que agora é passada. A questão gira em torno do mercado. A Strada é disparada e picape compacta mais vendida do Brasil, em um sucesso que se dá meio que por osmose. Para entender: a última grande mudança ocorreu em outubro de 2013 e nem foi algo tão inovador. Foi naquele momento que a Strada ganhou a terceira porta para a cabine dupla. Só que ninguém da concorrência copiou a ideia e a representante da Fiat continuou a andar lá na frente.

E olha que, em temos de motor e conforto, a Volkswagen Saveiro poderia ameaçar a Strada, pois se trata de uma excelente picape. Só que o consumidor continuou a confiar na Fiat.

O caso é que a picape chegará às concessionárias em meio à reabertura da economia e à retração da mesma. Porque, vamos e venhamos: quem ainda tem recursos dificilmente irá querer gastar pelo menos até que haja uma recuperação, algo que, dependendo do setor, pode demorar. Então a Nova Strada pode parar nas mãos de quem tem e pode gastar, de quem precisa renovar a frota (sim, picapes são também carros de trabalho) e – aí vem a sorte grande da Fiat – de quem se apaixonou pela nova picape e vai querer uma na garagem.

Vai ser interessante ver a Strada enfrentar o mercado e acompanhar os números.

A Strada chegará com os motores1.4 Fire (com 88 cv de potência e 12,5 kgfm de torque) nas versões de entrada, além do 1.3 Firefly (109 cv e 14,2 kgfm), já conhecido em Argo e Cronos. São são 650 kg de capacidade de carga para a cabine dupla e 720 kg para a simples.

A propósito: dia 26 saem os preços da Strada. Esperem algo entre R$ 65 mil e R$ 85 mil, com a versão Working custando menos.

Aceleremos!!!

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Paulo Rogério
  • Postado em: quarta-feira, 10 jun 2020 10:11Atualizado em: quarta-feira, 10 jun 2020 10:12
  • Nova Strada   Fiat   lançamento   
<< Página Anterior       Página Posterior >>
Sobre
O mundo automotivo dentro e fora da estrada! Pelo jornalista Paulo Rogério, especializado em automobilismo.