Os trabalhadores da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) da Baixada Santista e Vale do Ribeira declararam estado de greve a partir desta terça-feira (22). A paralisação é por tempo indeterminado, e teve início a partir da zero hora.





Em assembleia virtual realizada pela Diretoria do Sindicato dos Urbanitários de Santos e Região (Sintius) na segunda-feira (21), a categoria confirmou a greve. O mesmo ocorrerá em outras regiões do Estado.





A decisão por cruzar os braços aconteceu por causa da intransigência da direção da estatal nas negociações do novo Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), segundo os trabalhadores.





Na avaliação do sindicato (Sintius), é inaceitável a empresa vinculada ao Governo do Estado não conceder reajuste salarial por dois anos à categoria, que atua em uma atividade essencial e tem um papel estratégico na sociedade.





O Sintius defende, no mínimo, a reposição dos salários e dos benefícios dos trabalhadores com base na inflação acumulada nos últimos 12 meses (7,79%, segundo o índice IPC-Fipe).





Para que não haja prejuízos à sociedade durante a greve, o Sintius montou uma escala de equipes para o atendimento de eventuais casos de emergência ambiental na Baixada Santista e no Vale do Ribeira via Cetesb.





Uma nova assembleia virtual está agendada para esta terça-feira (22) às 19h, para avaliar a paralisação.