Os planos de ações climáticas desenvolvidos por Santos nos últimos anos podem render novas parcerias com o governo alemão. Os resultados já obtidos pelos projetos criados no Município há cerca de cinco anos foram apresentados nesta quarta-feira (30) ao cônsul da Alemanha, Joseph Weiss, que visitou a Cidade especialmente para conhecê-los.





Weiss veio acompanhado pelo cônsul honorário em Santos, Michael Timm, e foi recebido pela vice-prefeita, Renata Bravo, pelo secretário de Meio Ambiente, Marcos Libório, e pela coordenadora de Assuntos Internacionais da Prefeitura, Paula Quagliato. 





Além de ações climáticas, também foram discutidos temas relacionados a educação, cultura, reciclagem e projetos relacionados a assuntos internacionais. Segundo a vice-prefeita, Santos está de portas abertas para novas parcerias que possam trazer oportunidades para o Município. “Aproveitamos para falar do encontro da Unesco, em Santos, no mês de  julho, sendo o primeiro realizado em uma cidade da América Latina. Também sobre germinação com cidades alemãs, instalação de projetos interessantes que possam vir a ser instalados com o objetivo de realizar intercâmbio cultural e educacional”.





ADAPTAÇÃO CLIMÁTICA





Antes do encontro com a vice-prefeita, Weiss participou de reunião com o secretário de Meio Ambiente, Marcos Libório, e técnicos da pasta para conhecer mais de perto os planos de adaptação climática da Cidade. As ações vêm sendo realizadas em parceria com a Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável (GIZ).





“Temos um termo de parceria assinado entre Santos e a GIZ, que é um braço ambiental alemão, ele tem tido resultados positivos. Então, agora a gente pôde mostrar para o cônsul esses frutos do termo de cooperação assinado em 2017, entre os governos de Santos e da Alemanha, que englobam drenagem, arborização, Plano Municipal da Mata Atlântica, Plano de Ação Climática em Santos”, explicou Libório.





De acordo com o secretário, o representante do governo alemão se mostrou bastante impressionado com o trabalho desenvolvido. “Ele veio especificamente para obter detalhes de como esse termo de cooperação estava se desdobrando em ações e mostramos como Santos reúne conhecimento técnico para enfrentar as questões climáticas e como elaborou isso em métricas de curto, médio e longo prazos”. 





A expectativa é de que a visita venha a gerar um interesse ainda maior do governo alemão pelo Município. “Esperamos que essa parceria renda alguns investimentos não apenas em cooperação, mas em tecnologia de gestão de resíduos, drenagem e uma série de outras questões, uma vez que a Alemanha já está um pouco mais à frente do Brasil em questões ambientais e climáticas”, diz Libório. 





O secretário destaca ainda que Santos é pioneira no País em ações para contenção das mudanças climáticas e planejamento para lidar com as consequências do aquecimento global. Vale ressaltar que, em janeiro deste ano, o Município lançou o Plano de Ação Climática (Pacs) com 50 metas para serem cumpridas entre 2025 e 2050. Elas estão direcionadas para oito eixos:





1 - Planejamento urbano sustentável e meio ambiente





2 - redução da vulnerabilidade e gestão de riscos climáticos (desastres naturais)





3 - Inclusão e redução da vulnerabilidade social





4 - Resiliência urbana e soluções baseadas na natureza





5 - Resiliência na zona costeira, estuário, praia, rios e canais





6 - Gestão de infraestrutura (incluindo recursos hídricos, saneamento, transporte e estrutura portuária)





7 - Inventário de emissores de gases de efeito estufa (GEE) e plano municipal de mitigação de GEE





8 - Governança e participação na gestão climática






Foto: Arquivo/Divulgação Prefeitura de Santos