A Santa Casa de Santos investiu quase R$ 12 milhões em equipamentos para o Parque Tecnológico do Centro Cirúrgico. Esse é o maior investimento em equipamentos da história do hospital.





De acordo com o Superintendente da Santa Casa, Augusto Capodicasa, esse investimento revoluciona os últimos 50 anos na tecnologia da instituição. “É uma revolução no centro cirúrgico, com equipamentos modernos e que vai trazer muito mais qualidade e segurança, tanto para o médico, quanto para os pacientes”, disse.





Investimento em meio a pandemia





Para o superintendente da Santa Casa, antes de investir, houve a preocupação de criar um espaço para que as cirurgias aconteçam de maneira segura. Para isso, foram criados os corredores seguros para evitar qualquer tipo de contágio. “Médicos e a equipe de enfermagem toda treinada, preparada, para prevenir”, disse.





Quanto aos investimentos, Capodicasa reforçou que era necessário e uma coisa fundamental na medicina.





Os novos aparelhos serão utilizados especialmente em procedimentos de grande porte e cirurgias de alto risco, beneficiando pacientes de toda a Baixada Santista, atendendo tanto cirurgias particulares e de pacientes com convênios quanto os casos cirúrgicos vindos do Sistema Único de Saúde (SUS).





Capodicasa ainda disse que o hospital realizou recentemente um convênio com a Prefeitura de Praia Grande, para realizar um mutirão de cirurgias. Isso vai oferecer uma condição mais favorável para todos.






Inovação na Santa Casa de Santos






A Santa Casa de Santos lidera a região com o maior e mais bem equipado centro cirúrgico da baixada santista. São 25 salas operatórias, 21 leitos para recuperação e os mais modernos recursos para garantir completa assistência ao paciente em todos os momentos do ato cirúrgico, da admissão à recuperação.





São 150 novos equipamentos apenas para o centro cirúrgico.  O diretor médico, Rogério Dedivitis, destacou a estação de anestesia de alta performance, porque garante a monitorização segura do paciente e uma entrega do anestésico, em uma dose adequada. Isso diminui o tempo do procedimento. “Também investimos em focos cirúrgicos de última geração, de origem alemã, o que percebi a visualização melhor do campo cirúrgico”, enfatizou.





Outra grande novidade é o monitor de transmissão neuromuscular, que proporciona uma forma fácil e confiável de medir o nível de relaxamento muscular de pacientes anestesiados.





Também inédito na Baixada Santista, o arco cirúrgico para cirurgia guiada por imagem de alta definição está presente em grandes centros médicos como hospital sírio libanês, Albert Einstein e AC Camargo e beneficia diretamente as neurocirurgias e os procedimentos realizados na hemodinâmica.





Segundo o cirurgião de quadril Dr. Jeisner Godoy, a chegada desses recursos viabiliza procedimentos cirúrgicos inovadores. “Os novos equipamentos possibilitam a plena e rápida recuperação dos pacientes, além de conforto e segurança para a equipe médica”.





“Para 2022, esperamos realizar 4.500 cirurgias. Queremos iniciar um trabalho para atingir a capacidade máxima do centro cirúrgico. Temos um corpo clínico atuando e vamos atingir o que há de mais importante”, concluiu o superintendente.