Os projetos urbanísticos preparados pela Prefeitura para revitalizar a região Central Histórica foram apresentados na manhã desta quarta-feira (22) a cerca de 50 pessoas, entre empresários e comerciantes ligados à Associação Comercial de Santos e convidados na sede da instituição (Centro). A reorganização urbana proposta tem como foco principal o repovoamento dos bairros e o encontro foi uma forma de esclarecer e unir esforços pelas transformações.





Após um diagnóstico com histórico e características atuais da área, que engloba os bairros Vila Mathias, Vila Nova, Paquetá, Centro-Histórico, Valongo, Chinês, Porto Valongo e Porto Paquetá, o secretário de Desenvolvimento Urbano, Glaucus Farinello, mostrou alguns projetos para uma reorganização urbana. “O desenvolvimento do VLT vai gerar uma transformação natural. Conforme novos modais forem criados, a malha se torna mais complexa e eficiente, atraindo investimentos”.  





Glaucus também falou de um replanejamento em vias e linhas de transporte público. “Com o VLT operando, vamos reorganizar as vias e os modais. Também queremos ampliar, por exemplo, as áreas exclusivas para pedestres, para que a mobilidade seja um fator positivo, gerando novas oportunidades”. 





VERTICALIZAÇÃO 





Outra questão destacada pelo secretário foi a existência de áreas disponíveis para novas construções. São 100 mil metros quadrados no Valongo e 200 mil metros quadrados no Paquetá. “Existe um mito de que todos os imóveis na região central são de proteção cultural, mas isso não é verdade. Há uma área muito grande para que possamos promover uma renovação urbana, inclusive com a verticalização”, comentou o secretário. 





Farinello também mencionou outras ações que devem ser planejadas, como ampliação das áreas de lazer, consolidação da região como centro empresarial e hoteleiro e atrações para o público universitário.