Praia Grande foi a única cidade da Baixada Santista a promover a queima de fogos no Réveillon, indo na contramão da Capital e de outras grandes cidades do país, que cancelaram a festa por causa da ameaça causada pela Ômicron, nova variante da covid-19. Com 12 dias do espetáculo pirotécnico, com 22 minutos de duração, ocorrido em quatro locais da faixa de areia, o município registra 79% nos leitos de UTI covid.





De acordo com o boletim divulgado na última terça-feira (11), são 19 ocupando as 24 vagas disponíveis na UTI e 17, ocupando as 36 vagas na enfermaria.





Na ocasião, procurada pelo Santa Portal, a Prefeitura de Praia Grande informou que as festividades e eventos marcados na Cidade para a temporada de verão seguiriam todos os protocolos sanitários, inclusive com a exigência de apresentação de comprovante de vacinação na entrada dos shows musicais. “A Administração Municipal salienta ainda que continua seguindo orientações com base nas definições do Estado através do Plano São Paulo, e com pareceres levantados pelo Comitê Técnico Científico para o Enfrentamento e Combate ao Coronavírus (covid-19)”, completa a nota.