Peruíbe voltará a obrigar o uso de máscaras a partir desta quarta-feira (1º) nas escolas públicas, particulares e para os servidores municipais, nos prédios públicos em geral.





Um decreto municipal será publicado na próxima edição do Boletim Oficial do Município, dispondo das recomendações, que também valem para espaços fechados, públicos ou privados.





A determinação tem validade de um mês, ou seja, até 30 de junho. A decisão foi necessária devido ao aumento de casos de covid-19 nos últimos dias na cidade. 





O índice de casos positivos de covid-19 atingiu mais de 25% em relação aos pacientes com sintomas respiratórios neste fim de semana.





Atualmente, em Peruíbe, dois moradores estão internados com sintomas de covid-19. A prefeitura considera que há uma boa taxa de vacinação, entretanto, a cidade reforça a importância da dose de reforço para que as taxas de ocupação de leitos sigam baixas entre os residentes do município.





Itanhaém





Em Itanhaém, a prefeitura também obrigou o uso de máscaras contra a covid-19 nas escolas. Agora, as duas cidades são as únicas da região a retomarem a medida, após o aumento no número de casos confirmados.





O decreto válido para Itanhaém foi publicado no dia 24 de maio, obrigando o uso de máscaras dentro de salas de aula e ambientes fechados da rede pública de ensino. De acordo com a prefeitura, a medida é necessária já que, nos últimos dias, os casos de covid-19 entre alunos, professores e funcionários têm aumentado.





O objetivo é garantir a segurança dos estudantes e profissionais da Educação e de outros setores dentro das escolas.





A obrigatoriedade do uso de máscaras, somente será dispensada no caso dos estudantes com transtorno do espectro autista, deficiência intelectual, sensorial, ou qualquer outra deficiência ou condições de saúde que os impeçam de fazer o uso adequado de máscaras de proteção facial, conforme declaração médica. Os alunos com menos de cinco anos de idade também não terão a obrigatoriedade do uso.





A Secretaria de Educação recomenda que as escolas da rede privada de ensino também adotem o uso de máscaras de proteção facial nos ambientes fechados das unidades escolares.