A Polícia Militar colocou faixas em comunidades de Cubatão para incentivar denúncias a responsáveis por ameaçar motociclistas que "tirassem de giro" e "colassem no grau". No final de dezembro, faixas com foram colocadas em todo o estado e a responsabilidade foi atribuída a uma facção criminosa. Agora a PM realiza ações para coibir a violência.





"Tirar de giro" é a gíria usada para a explosão no escapamento, barulho que se assemelha a disparos de arma de fogo. Já "chamar no grau" é o ato de empinar a roda da frente da moto "para se exibir". As duas práticas são proibidas pelo Código de Trânsito Brasileiro, punidas com multa e apreensão do veículo.





Em nota, o Comando do Vigésimo Primeiro Batalhão de Polícia Militar do Interior esclareceu que como a mensagem incitava a violência, as primeiras faixas foram retiradas pelos policiais militares e apresentadas no 1º Distrito Policial de Cubatão, onde foram apreendidas pela Autoridade de Plantão, a qual registrou o devido Boletim de Ocorrência.





O Código Penal Brasileiro, em seu artigo 286, traz o delito de incitação à prática de crime, no caso em questão, o crime de lesão corporal, e prevê pena de detenção de três a seis meses ou multa a quem o pratica.





"A Polícia Militar continuará realizando ações na Vila Esperança, a fim de coibir o cometimento de infrações ao CTB, bem como condutas que estimulem a violência, combatendo a criminalidade e preservando a população. Com relação às faixas referentes ao disque denúncia, foram instaladas pela Policia Militar duas delas no bairro vila Esperança, Cubatão, onde esta sendo desencadeada a Operação Maré Alta, uma na Rua 25 de Dezembro, outra no Morro do Índio", diz a nota.





O objetivo é incentivar a participação da população em geral na Segurança Pública do Estado de São Paulo, podendo ser efetivada através do telefone de emergência 190, disque-denúncia 181 ou site.