A maior parte das cidades da Baixada Santista vão continuar sem cobrar a obrigatoriedade do uso de máscaras nas escolas. Apenas Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe voltaram atrás na decisão e vão obrigar que estudantes, professores e funcionários da rede de ensino utilizem a proteção facial.





Na semana passada, o primeiro município a tomar uma decisão nesse sentido foi Itanhaém. Já Mongaguá e Peruíbe decidiram nesta terça-feira (31) pelo retorno do uso de máscaras no ambiente escolar.





A decisão das prefeituras foi baseada no aumento de casos de covid-19 nos últimos dias nas três cidades.





No levantamento feito pelo Santa Portal, Guarujá e Praia Grande informaram que não há obrigatoriedade, porém o uso de máscara nas escolas é facultativo.





Veja o posicionamento das cidades sobre o tema:





Bertioga





A Secretaria de Educação de Bertioga informa que, até o momento, não há casos de covid-19 nas escolas. Diante disso, não vê a necessidade do retorno da obrigatoriedade do uso de máscaras. A pasta destaca, ainda, que segue monitorando a situação juntamente com a Secretaria de Saúde.





Cubatão





A Secretaria Municipal de Educação informa que por ora não obrigará o uso, porém segue atenta a eventual evolução dos casos no município.





Guarujá





A Prefeitura de Guarujá informa que o uso de máscaras na Cidade é facultativo, sendo obrigatório somente nas unidades de Saúde e transporte público. Ainda não há previsão para o retorno do uso nas unidades de ensino.





Itanhaém





Um decreto publicado na semana passada voltou a tornar obrigatório o uso de máscaras nas escolas municipais de Itanhaém.





O uso do acessório contra a covid-19 será obrigatório dentro de salas de aula e ambientes fechados da rede pública de ensino. A decisão é uma medida temporária para prevenir o contágio e transmissão do coronavírus.





De acordo com a prefeitura, a medida é necessária já que, nos últimos dias, os casos de covid-19 entre alunos, professores e funcionários têm aumentado. O objetivo é garantir a segurança dos estudantes e profissionais da Educação e de outros setores dentro das escolas.





A obrigatoriedade do uso de máscaras, somente será dispensada no caso dos estudantes com transtorno do espectro autista, deficiência intelectual, sensorial, ou qualquer outra deficiência ou condições de saúde que os impeçam de fazer o uso adequado de máscaras de proteção facial, conforme declaração médica. Os alunos com menos de cinco anos de idade também não terão a obrigatoriedade do uso.





A Secretaria de Educação recomenda que as escolas da rede privada de ensino também adotem o uso de máscaras de proteção facial nos ambientes fechados das unidades escolares.





Mongaguá





A Prefeitura de Mongaguá informa que novamente adotará o uso obrigatório de máscaras nas escolas públicas, estaduais e privadas do Município. Após análises das diretorias de Saúde, Educação e demais áreas que integram o Gabinete de Combate à covid-19, foi decidido que a medida seria necessária, haja vista a necessidade de assegurar condições que favoreçam a realização de atividades escolares presenciais a alunos, professores e demais servidores.





A Administração Municipal enfatiza que segue recomendando o uso de máscara de proteção facial em todos os ambientes fechados, sejam eles públicos ou privados. O decreto foi publicado nesta terça-feira (31), passando a valer a partir desta data em diante.





Praia Grande





A Prefeitura de Praia Grande informa, por meio da Secretaria de Educação (Seduc), que até o presente momento fica facultativo o uso de máscaras nas escolas da rede municipal de ensino. Alunos, professores e funcionários que sentirem a necessidade podem utilizar o item de proteção.





Santos





A Prefeitura informa que, em conjunto com as secretarias de Educação (Seduc) e de Saúde (SMS), acompanha atentamente a evolução da pandemia de covid nas unidades municipais de ensino, onde, no momento, não é exigido o uso de máscara facial – medida que pode voltar a ser adotada, caso necessário, de acordo com os indicadores da doença.





Neste ano, não houve a necessidade de fechamento de escolas por conta de casos de covid. Desde o início do ano letivo (até 24/5), 60 casos da doença foram notificados pelas unidades de ensino da rede pública ao PSE (Programa Saúde na Escola), sendo 12 em alunos. Vale ressaltar que Santos tem 86 unidades municipais de ensino, com cerca de 27.500 alunos e 4.500 profissionais de Educação.





A Prefeitura destaca ainda, que 67% das crianças, de 5 a 11 anos (21.822), já tomaram a primeira dose da vacina contra a covid, e 67% (14.728) das que poderiam tomar a segunda dose (ou seja, que cumpriram o intervalo) também o fizeram. Vale lembrar que Santos tem 90% da população (acima de 5 anos) com o esquema vacinal completo (duas doses).





Por fim, a Seduc ressalta que, mesmo com a não obrigatoriedade do uso de máscaras nas escolas, a higienização constante e o uso de álcool em gel continuam fazendo parte do dia a dia das unidades de ensino municipais.





São Vicente





A Prefeitura de São Vicente informa que continua seguindo o decreto do Estado sobre a flexibilização do uso de máscaras em todos os ambientes, com exceção do transporte público e locais destinados à prestação de serviços de saúde.





Desde o começo do ano, a Secretaria de Educação (Seduc) vem adotando e seguindo as orientações exigidas para o retorno 100% presencial. Todas as unidades escolares contam com materiais de higiene e limpeza para atender as normativas elencadas pelo comitê municipal covid-19 e o Plano Municipal de Retomada das Aulas e Protocolos Sanitários.





Vale ressaltar que até o momento não houve suspensão de aulas e que os casos isolados são monitorados para garantir que o vírus não seja disseminado.





Peruíbe





Peruíbe voltará a obrigar o uso de máscaras a partir desta quarta-feira (1º) nas escolas públicas, particulares e para os servidores municipais, nos prédios públicos em geral.





Um decreto municipal será publicado na próxima edição do Boletim Oficial do Município, dispondo das recomendações, que também valem para espaços fechados, públicos ou privados.





A determinação tem validade de um mês, ou seja, até 30 de junho. A decisão foi necessária devido ao aumento de casos de covid-19 nos últimos dias na cidade.





O índice de casos positivos de covid-19 atingiu mais de 25% em relação aos pacientes com sintomas respiratórios neste fim de semana.





Atualmente, em Peruíbe, dois moradores estão internados com sintomas de covid-19. A prefeitura considera que há uma boa taxa de vacinação, entretanto, a cidade reforça a importância da dose de reforço para que as taxas de ocupação de leitos sigam baixas entre os residentes do município.