A orla do Canto do Forte, em Praia Grande, amanheceu com diversos crustáceos na manhã desta sexta-feira (18). A cena surpreendeu banhistas que passavam pelo local nas primeiras horas do dia. As imagens foram cedidas pela página Praia Grande Mil Grau.





Segundo o coordenador de Biologia da Unisanta, Jorge Luis dos Santos, o fenômeno é comum nas praias da Baixada Santista. “Referem-se a um grupo de crustáceos, numa estrutura de madeira fluente. Por causa da deriva oceânica, que é gerada por correntes, ventos e marés, esses crustáceos alcançaram o trecho litorâneo. Isso é bastante frequente até mesmo pela posição geográfica, não só de Praia Grande como da maioria das praias do litoral sul de São Paulo”, explicou o biólogo ao #Santaportal.





De acordo com Jorge Luis, as condições de balneabilidade das praias contribuem para o aparecimento desses crustáceos, do gênero lepas. “Essa incrustação ocorre em extratos consolidados, pois os filtradores ficam se movimentando na coluna d’água e obtendo partículas alimentares, tanto vivas quanto não vivas. Os crustáceos de forma são muito diversificados nas duas condições de movimento. Porém, nesse caso, de fato é importante até do ponto de vista ambiental a salinidade baixa da água. Significa que as condições em Praia Grande são favoráveis para a ocorrência desse tipo de crustáceo”, disse.






Foto: Reprodução/Praia Grande Mil Grau






Foto: Reprodução/Praia Grande Mil Grau