Após dias de muito calor e sol intenso, a região da Baixada Santista amanheceu com fortes chuva nesta segunda-feira (7), que provocaram pontos de alagamento em algumas cidade. Os maiores transtornos devido ao grande volume de água ocorreram nas cidades de Santos e São Vicente.





São Vicente é uma das cidades com mais pontos de alagamento, conforme informado pela prefeitura ao Santa Portal. Em imagens recebidas pela reportagem, é possível ver a Avenida Capitão Luiz Antônio Pimenta, no bairro Parque Bitaru, completamente alagada. A água invadiu a calçada e chegou a entrar em algumas casas.





"Estou ilhada. Na minha casa entrou água e está tudo cheio. A gente já está levantando as coisas, estou com a água na canela. Onde eu moro [no Parque Bitaru] não costuma encher, mas tem muita água. Os ônibus não estão passando, os caminhões fazem a volta, os carros estão em cima da calçada. Está bem feio", conta a estudante Mariana Meirelles.









A administração municipal informou que os motoristas devem evitar transitar com veículos de passeio, devido ao acúmulo de água, pelos seguintes locais: acessos 65 e 67 da Rodovia dos Imigrantes; avenidas Castelo Branco e Penedo (Linha Azul); Rua Polydoro Bittencourt, que dá acesso à Praia Grande; acesso ao conjunto Tancredo Neves pela Rua Frei Gaspar; Rua Mascarenhas de Moraes; Descida do Viaduto Mário Covas (Bitaru); Rua Tibiriçá (trecho da Avenida Presidente Wilson); Rua Lourival Moreira doamaral; e Avenida Marcehal Deodoro, altura do viaduto da Av. Antônio Emmerich.





Equipes da Defesa Civil estão monitorando os morros da cidade, que estão em estado de alerta. Até o momento não há registro de ocorrências. Também devido às chuvas, a Secretaria de Educação (Seduc) suspendeu a atribuição de aulas para professores adjuntos, que aconteceria nesta segunda-feira. Assim que houver nova data, os professores serão informados.





Foto: Mariana Meirelles




Já em Santos, a Av. NS Fátima foi interditada em ambos os sentidos, no trecho em ruas Bóris Kauffmann e Ana Santos, devido ao volume de água. Os bloqueios foram feitos no sentido São Vicente na subida do Elevado Paulo Gomes Barbosa e no São Vicente/Santos, na R. Julia Ferreira.





Alagamento também na Praça Washington, que está bloqueada. Em alguns pontos, problemas com semáforos intermitentes: canal 1 com a Euclides da Cunha; Av. Conselheiro Nebias com a Av. São Francisco; Av. Mário Covas com a Amélia Leuchtemberg; e Av. Afonso Pena com o canal 6.





Equipe de manutenção semafórica está nas ruas para a realização dos reparos. Também no Avenida Francisco Glicério com a Senador Feijó, semáforo inoperante devido a acidente. Equipamento é integrado ao sistema do VLT e a operadora já foi acionada.





O índice Pluviométrico das últimas 72  é de  51,13 mm. Devido as fortes chuvas, os morros estão em estado de observação, no entanto, não há o registro de ocorrências.









Veja como está a situação nas demais cidades da região:





Em Guarujá, foi registrada a queda de uma árvore de médio porte na região do viaduto Florisberto Mariano, no trecho que liga a Avenida Adhemar de Barros à Avenida Santos Dumont, no Santo Antônio. A ocorrência não teve vítimas ou maiores danos, segundo a prefeitura. A cidade segue em estado de observação.





Foto: Reprodução





A Defesa Civil de Guarujá informou que até o momento o acumulado das últimas 24 horas na cidade chegou a 60,8 milímetros. Já o acumulado das últimas 72 horas é de 63,1 milímetros, e o mensal, de 68 milímetros.





Cubatão também registrou pontos de alagamento no Centro, Vila Nova, Jardim Casqueiro e Ilha Caraguatá, mas conforme informou a Defesa Civil, não foram reportadas ocorrências. O acumulado das últimas 24 horas na cidade é de 47,6 mm na região central, e 43,3 mm no alto da Serra do Mar.









A Prefeitura de Bertioga informou que, foram registrados 182 milímetros de chuva nas últimas 24 horas. O acúmulo total das últimas 48 horas é de 182 milímetros de chuva. Até o momento não houve nenhum chamado registrado pelo canal de emergência 199.





A Defesa Civil do município está atuando em observação pelo Plano Preventivo de Defesa Civil (PPDC), realizando vistorias nas áreas de maior vulnerabilidade.





Em Mongaguá, também não houve nenhum registro de ocorrências. O acumulado de chuvas em 24 horas foi de 121 mm, segundo a prefeitura.





Itanhaém também informou que não teve registro de ocorrência em razão das chuvas. Segundo a Defesa Civil da cidade, foram registrados 71mm de chuvas.





Em Praia Grande, a Defesa Civil da Cidade está em estado de atenção. Todas as todas as equipes do setor, assim como as de manutenção e de trânsito, estão realizando vistorias pelas vias para levantar possíveis problemas. No momento, um semáforo na Avenida Presidente Kennedy, na altura do Bairro Maracanã, encontra-se piscante por causa dos efeitos da chuva, tendo acompanhamento de agentes de trânsito durante a manutenção.





Além disso, pontos de possíveis acúmulos de água estão sendo escoados pelo sistema de drenagem municipal no momento. A chuva continua caindo na cidade e o índice pluviométrico das últimas 72 horas foi de 150 mm e das últimas 24 horas de 135 mm. Caso a população registre algum problema relacionado à chuva ela pode entrar em contato com a Defesa Civil através do telefone 199.





A Prefeitura de Peruíbe informou que não houve pontos de alagamentos e nem ocorrências devido à chuva. Na região central, foi registrado índice pluviométrico de 18 mm, nas últimas 24h; 8,26 mm no Parque do Trevo; e 10,7 mm no Guaraú.