Os comerciantes de São Vicente que atuavam na Praça Barão do Rio Branco, no Centro da cidade, tiveram seus comércios realocados pela prefeitura para a Praça Coronel José Lopes, a Praça dos Correios, no último dia 31 de maio. A mudança, no entanto, desagradou à categoria.





Nesta quinta-feira (17), foi realizado um protesto na praça onde ficam os carrinhos. Representantes da categoria cobraram o prefeito pela organização do local, que havia sido prometida.





Carla Patrícia, uma das ambulantes que atua no Centro de São Vicente, diz que já tentou agendar uma reunião com o prefeito Kayo Amado. “O prefeito, de uma hora para outra, mandou uma notificação para a gente ir se retirando. Tem ambulante que tem um mais de 11 anos que se encontra naquele local, e ele quer retirar pra ir trabalhar numa praça onde não tem movimento.”





Ela completa dizendo que são 54 ambulantes que atuam no local, sendo que na nova praça, a organização não permite distanciamento. “Vamos ficar 54 ambulantes com a mesma mercadoria sem nenhum distanciamento social devido à pandemia, e sujeitos a pegar covid. O prefeito Kayo Amado, junto com o secretário do comércio, não quer saber de nós no Centro, ele quer nos colocar num lugar onde não vende, não tem condições da gente ficar”.





Outro comerciante, em vídeo, afirma que as marcações já foram feitas no piso da praça, e reforça que o distanciamento não é possível no local. Ele ainda diz que o local não tem movimento de clientes. “Querem que 59 carrinhos venham trabalhar em uma praça onde não passa ninguém, nós vamos vender para quem? A gente tem família, temos funcionários que trabalham com a gente. Então peço ao prefeito e secretário que nos ajudem. São 59 carrinhos colados um no outro”.





Proposta





Segundo divulgado pela prefeitura de São Vicente em maio, todos os ambulantes que trabalham com produtos variados, exceto alimentos, foram orientados a iniciar, a partir do dia 31 de maio, a continuar os trabalhos no novo centro comercial de ambulantes, localizado na Praça Coronel José Lopes.





A Praça do Correio será dividida entre os ambulantes que já estão fixados no local do lado direito, enquanto os novos carrinhos serão organizados entre o lado esquerdo e o direito.





A ação visa combater o comércio ilegal, fazendo com que as pessoas que estão trabalhando sem licença, busquem a Prefeitura para realizar o cadastramento.





O secretário da Secinp, Rogério Tadachi, explica que há muitas reclamações de comerciantes que têm suas vitrines ou entradas bloqueadas por ambulantes que atuam de forma ilegal. Por conta disso, a Secretaria irá remanejar estes vendedores para um novo espaço e fiscalizar, com o apoio da Guarda Civil Municipal (GCM), todo o Centro de São Vicente, a partir de segunda-feira.





Prefeitura





Em nota, a Prefeitura de São Vicente, por meio da Secretaria de Desenvolvimento do Comércio, Indústria e Assuntos Portuários (Secinp) informa que a mudança tem por objetivo organizar o comércio no centro da cidade, readequando a Praça Barão do Rio Branco e melhorando o fluxo de pessoas no entorno, que era uma reivindicação antiga da própria população que frequenta aquela região.





Ainda segundo a nota, diversas conversas foram realizadas na Prefeitura, envolvendo ambulantes e autoridades municipais, até a definição do remanejamento. Durante as tratativas, os ambulantes reivindicaram melhorias na praça para onde foram transferidos, e todas foram cumpridas rigorosamente pela Administração Municipal, como poda de árvores, melhoria na iluminação e demarcação de solo. "Além disso, um sorteio foi feito para distribuir, de maneira justa, os pontos de venda de cada ambulante", diz.





"É importante ressaltar que a iniciativa não pretende retirar de ninguém o direito de trabalhar. Pelo contrário, o novo local oferece melhor estrutura para que os vendedores exerçam seu trabalho", afirma a Prefeitura.





De acordo com o órgão, a novidade também não deve atrapalhar as vendas dos ambulantes, uma vez que a Praça Coronel José Lopes, para onde eles foram remanejados, já conta com o camelódromo e é uma conhecida região comercial de São Vicente, com grande fluxo de pessoas, diariamente, além de outros estabelecimentos comerciais já instalados, como clube, bancos, restaurantes, entre outros.





Por fim, reitera que "o comerciante que se negar a respeitar será chamado pela Secinp para conversar, pois todo esse processo, desde o início, foi conduzido na base do diálogo."