ITANHAÉM - Após nove dias internado, o aposentado Vanderlei Alves Pinto, de 51 anos, é mais um paciente a vencer a Covid-19. Na quinta-feira (21), ele recebeu alta do Hospital Regional de Itanhaém e a sua liberação foi comemorada por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, dentre outros profissionais do equipamento de saúde. O paciente foi bastante aplaudido pelos profissionais e se emocionou com a homenagem. Veja o vídeo acima.

Segundo a irmã de Vanderlei, a recepcionista Michelle Ribeiro Bueno, ele e a sua esposa contraíram o vírus praticamente ao mesmo tempo. A companheira dele trabalha em um hospital.

“O meu irmão tem uma companheira no qual trabalha em ambiente hospitalar, ela é técnica de enfermagem em UTI. Ela apresentou os sintomas primeiro e foi diagnosticada com pneumonia. Logo fizeram o exame e deu positivo para Covid-19. Meu irmão trabalha como motorista de aplicativo, mas acreditamos que ele pegou dela, até mesmo pelo convívio morando na mesma casa”, contou Michelle, em entrevista ao #Santaportal .

De acordo com a irmã de Vanderlei, o seu quadro clínico piorou alguns dias depois e ele precisou da internação. “No dia 30 de abril ele foi até a UPA de Itanhaém, ele já apresentava febre. O Vanderlei fez um raio-X, que não apresentou nenhum comprometimento dos pulmões e ele retornou para a sua residência. Mas, nos dias seguintes, os sintomas pioraram e já estavam os dois se isolando em casa. Ela melhorou um pouco com a medicação, porém ele só estava piorando. Até que no dia 11, ele resolveu voltar até a UPA. Naquele dia mesmo, ele fez o raio-X novamente e o seu pulmão já estava bem comprometido. Desta forma, o médico já encaminhou o Vanderlei para internação”, explicou.

Após passar a noite do dia 11 na UPA, Vanderlei teve que ser transferido no dia seguinte para o Hospital Regional de Itanhaém. Com febre, falta de ar e cansaço, além de baixa saturação, ele quase precisou ser encaminhado para a UTI. No entanto, Vanderlei foi apresentando uma melhora no decorrer dos dias.

“Foram dias tensos, pois logo no começo ele teve que usar a máscara de oxigênio, pois estava com problemas para respirar. Como ele ficou na enfermaria, ainda conseguíamos falar com ele pelo celular. Foram dias difíceis, algumas vezes ele dizia não ter mais forças para lutar contra a doença. São muitos medicamentos, é uma doença que atinge bastante os pulmões. Ele precisou usar um equipamento chamado Sipap para ajudar na recuperação e, felizmente, depois de alguns dias tivemos a notícia da sua cura”, contou Michelle.

No entanto, além da preocupação com o estado clínico de se irmão, Michelle e a família se preocuparam em preservar a mãe de Vanderlei, Alda Alves Pinto Ribeiro, de 80 anos, da informação de que ele estava internado lutando pela vida, na batalha contra o novo coronavírus.

“Desde janeiro a nossa mãe mora comigo, ela tem 80 anos e até o fim do ano passado morava sozinha, somente com a minha ajuda e supervisão. Eu estou afastada do trabalho, pois também trabalho na área da saúde (consultório médico). Como a minha mãe é uma pessoa de grande risco para a doença preferi me poupar e ficar com ela em casa. Desde o fim de março apenas o meu marido sai de casa tara trabalhar. A minha mãe tem problemas de pressão alta, diabetes, e achamos melhor não contar, pois deixaria ela bastante preocupada e o pior: nós não podíamos fazer nada. Foi difícil segurar essa barra sem poder chorar, sem colocar tudo para fora. Mas, graças a Deus, deu tudo certo no final. Agradecemos muito a Deus e aos profissionais que cuidaram dele durante todo esse tempo de internação”, comentou.

Vanderlei foi o 100º paciente do novo coronavírus a ser tratado pelo Hospital Regional de Itanhaém. Por isso, a comemoração foi repleta de emoção por todos os participantes desse momento. “Vocês me deram a oportunidade de ter vida”, disse o aposentado, no vídeo divulgado pelo hospital. “Gostaria de dizer meu muito obrigado, vocês todos estão de parabéns”, concluiu o paciente, emocionado.

Agora, recuperado do susto, Vanderlei terá que seguir o cronograma traçado pelos médicos para o seu pleno restabelecimento. “Ele vai continuar o isolamento em casa por mais 15 dias, com uso de medicações. Ele diz não estar sendo fácil, ainda falta o ar, o cansaço é grande, mas ele está se recuperando e graças a Deus é mais um milagre de uma pessoa que sobreviveu após ter a Covid-19”, concluiu a irmã dele.

noticia20205237514.jpg
Divulgação/Hospital Regional de Itanháem