Doria anuncia mais medidas contra o coronavírus e pede reflexão para Jair BolsonaroReprodução
CORONAVÍRUS - João Doria, governador de São Paulo, anunciou mais medidas no combate ao coronavírus, como tem feito diariamente.

Uma é o Merenda em Casa, que vai beneficiar 700 mil alunos da rede pública estadual que sejam mais vulneráveis. "A partir de 1 de abril, as famílias desses alunos vão receber R$ 55,00 por mês e a medida vai perdurar enquanto as aulas estiverem suspensas, em um investimento de R$ 40,5 milhões mensais", detalha Doria.

A outra é que a vacinação contra a gripe destinada às forças policiais iniciará na segunda-feira (30) - estava prevista para 16 de abril. A recomendação foi do Centro de Contingência do Coronavírus, agora liderado por Helena Sato porque David Uip está em isolamento por causa do coronavírus. "A expectativa é a de vacinarmos 100 mil policiais em 5 dias", completa o governador.

Depois de anunciar as medidas, João Doria falou sobre a discussão com o presidente Jair Bolsonaro, em reunião virutal com os governadores do Sudeste hoje pela manhã.

"Em minha intervenção, disse que fiquei absolutamente decepcionado com o posicionamento do presidente. O que ele disse foi absolutamente equivocado e em falta de sintonia com o próprio Ministério de Saúde. Não houve colocação de ordem política. Nem alterei a voz. Fiz colocação como cidadão e governador. Não é uma gripezinha nem um resfriadozinho. É um assunto grave, a maior crise de saúde pública da história do País. Não transforme em palanque político. Estamos preocupados em salvar vidas. Não é no desafio pessoal que vamos construir soluções, mas no entendimento, na reflexão, na interpretação correta dos fatos, de maneira equilibrada e em paz. Presidente, vamos refletir juntos. Não pode haver fronteiras entre a solidariedade e o amor ao próximo".

Doria também anunciou que os 27 governadores brasileiros estarão reunidos em conferência virtual das 16 às 18 horas, "face à grave situação do País e comportamento do presidente da República", disse o governador. "

Doria também aproveitou para mostrar a contraprova feita pelo Instituto Adolfo Lutz de teste que fez para coronavírus. Assim como a que foi realizada pelo Hospital Albert Einstein, deu negativo. "O Einstein está homologado e não seria necessário. Mesmo assim, pedi e foi entregue às 22 horas de ontem. São Paulo não esconde informações. Demonstra informações", afirma o governador.