Suspeito de matar PM é morto durante confronto com Baep em SantosReprodução Redes Sociais

SANTOS - O jovem Luiz Gustavo Messias Bispo, de 18 anos, foi morto em confronto com uma das equipes do 2º Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar (Baep) na noite de quarta-feira, em Santos. De acordo com a Polícia Civil, Luiz Gustavo seria o suspeito do assassinato do policial militar Cláudio Gonçalves.

Após receber uma denúncia anônima de que os autores do crime  estariam em um imóvel no Caminhão São Sebastião, uma equipe do Baep foi encaminhada para o local. Os policiais chegaram por volta das 21h no local, que fica no bairro Rádio Clube, e seguiram a pé por um beco após pararem a viatura. No final da rua, eles encontraram a casa apontada pelos denunciantes e com uma movimentação intensa, com homens saindo a todo instante do imóvel.

Ao perceberem a presença da polícia no local, os criminosos fugiram com mochilas e armas. A porta da casa foi deixada entreaberta pelos bandidos e, ao entrarem no imóvel, os agentes foram surpreendidos com disparos feitos pelo suspeito. Os policiais revidaram e Luiz Gustavo foi baleado. Ele foi resgatado e encaminhado para a UPA da Zona Noroeste, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo informações da Polícia Civil, a arma utilizada por ele na ação de ontem era calibre 9mm, sem numeração. A investigação acredita que essa pistola possa ter sido usada pelo suspeito na morte do PM Cláudio.

Dentro da residência, os policiais do Baep encontraram 483 pinos de cocaína, uma porção a granel da droga e 24 porções de haxixe. Uma caderneta com anotações do tráfico, duas balanças de precisão e materiais utilizados para o embalo da roga também foram apreendidos durante a operação.

A arma de Luiz Gustavo e os revólveres dos policiais foram apreendidas pela perícia, que também esteve no local para apurar as circunstâncias do caso. A ocorrência foi registrada na Central de Polícia Judiciária de Santos.

Entenda o caso
Na noite do último sábado (8), dois indivíduos chegaram de bicicleta e, armados, renderam o policial Cláudio Gonçalves, anunciando o assalto e obrigando que ele entregasse a sua arma, uma pistola .40. "Perdeu, perdeu, policial", disseram, deixando claro que reconheceram a profissão de Cláudio.

Assim que o policial fez isso, os dois efetuaram os disparos e fugiram sentido bairro Sambaiatuba junto com um terceiro, que fazia a cobertura em uma esquina próxima.

Cláudio Gonçalves estava de folga e, segundo o #Santaportal apurou, conversando com três amigos em um bar, na calçada, descansando de um serviço de pedreiro que fazia na casa. Ele foi morto na frente da residência dos pais, no bairro Parque São Vicente. Os três amigos saíram correndo, mas tiveram tempo de ver a ação e foram arrolados como testemunhas. O PM chegou a ser socorrido, mas morreu ainda no local. Minutos depois, os pais reconheceram o corpo.

O cabo Cláudio Gonçalves trabalhava no 29º BPMI, da 1ª CIA, em Mongaguá, mas residia em São Vicente. Ele chegou também a integrar a Força Tática. Pessoas que trabalharam diretamente com ele não esconderam ao #Santaportal o sentimento de perda pelo extremo profissionalismo do policial e também por seu jeito amigo.