Audiência na Justiça entre Jorge Sampaoli e Santos termina sem conciliaçãoIvan Storti/Santos FC
JUSTIÇA - Não houve acordo entre Jorge Sampaoli e o Santos Futebol Clube em audiência realizada ontem à tarde, na 5ª Vara do Trabalho de Santos, sobre a ação trabalhista movida pelo treinador argentino contra o clube. Uma nova audiência com essa finalidade foi marcada pela juíza Samantha Fonseca Steil Santos e Mello para às 13h20 de 23 de março, no mesmo local.

No encontro de ontem, com duração de apenas 32 minutos, Sampaoli esteve presente junto com o advogado Gustavo Amorim Barros, enquanto o Santos foi representado por Victor Targino de Araújo acompanhado do advogado Felipe Abrantes Rosseto. O Peixe, inclusive, chegou a pedir segredo de justiça a respeito do processo, o que foi negado.

Além dos R$ 10 milhões referentes à rescisão de contrato, Sampaoli também cobra R$ 3,5 milhões referentes à classificação do Brasileirão, que não teriam sido pagas pelo clube, conforme estabelecido em agosto do ano passado. O valor seria rateado pelo argentino com sua comissão técnica.

A rescisão de contrato de Sampaoli foi alvo de polêmica no fim do ano passado. O clube alegou que ele pediu demissão em 9 de dezembro, um dia antes do fim do prazo que estabelecia multa contratual. Já o argentino alega que formalizou a saída em 11 de dezembro. A rescisão foi publicada no Boletim Informativo Diário da CBF em 21 de janeiro de 2020.