Arquitetos descobrem pinturas originais de 1886 no Casarão do Instituto Histórico e GeográficoDivulgação
SANTOS - Instituto Histórico e Geográfico de Santos tem a missão de levantar recursos para o restauro completo do imóvel e fazer dele um ponto de referência de difusão da memória santista e regional. Ontem pela manhã, os arquitetos Jaqueline Fernandez Alves, Demontier Meireles Vasconcelos e Amanda Guerra fizeram uma grande descoberta nas paredes do velho casarão do IHGS, que fica na Avenida Conselheiro Nébias, 689.

O casarão construído em 1886, no tempo do Império Brasileiro, é considerada a edificação mais antiga de Santos. E com algumas técnicas estratigráficas, os arquitetos encontraram alguns resquícios de pintura artística no imóvel histórico. Como não existe nenhuma estrutura arquitetônica mais antiga do que a casa do Instituto na região. A sua importância cultural para a cidade é enorme. O casarão é o único remanescente das antigas chácaras da Barra.

A meta é restaurar integralmente o imóvel, trazendo o glamour que tinha na época que foi construído. Tornar o casarão um difusor das memórias de Santos, como um Museu Histórico, moderno, espaço dedicado ao conhecimento culturais e interativo.

Por causa da descoberta, o Instituto Histórico e Geográfico de Santos deve preparar um projeto de restauro interno, aberto para visitar e resgatar sua ambiência artística. Será incluído nesse projeto também, a criação de um espaço gastronômico, além da recuperação do telhado, a implantação de acessibilidade, recuperação de alvenarias, pisos, banheiros e do entorno.


noticia2020213340644.jpg

noticia2020213349910.jpg

noticia2020213436957.jpg