Em Peruíbe, abrigados da chuva voltam para suas casas


28 dias atrás
Por: #Santaportal - Em 22/05/2019 às 20:37
Em Peruíbe, abrigados da chuva voltam para suas casas Divulgação/Corpo de Bombeiros

PERUÍBE - Os moradores atingidos pelas maiores chuvas de todos os tempos em Peruíbe e que estavam abrigados há quatro dias em duas escolas municipais voltaram para suas moradias nesta quarta-feira (22).

Com as águas baixando desde segunda-feira (20) e as ruas dos bairros afetados pelas enchentes sendo limpas a partir de ontem (21), em uma grande força-tarefa da Prefeitura com máquinas e caminhões. A operação Cata-Treco também recolheu materiais descartados.

Estrada do Guaraú
A limpeza da área e os trabalhos de quebrar as grandes pedras que deslizaram da Serra, levando terra e árvores, bloqueando a estrada, aconteceram normalmente durante o dia.

Os trabalhos deveriam continuar durante a noite, porém como já identificado pelo IPT, a “evolução do processo de instabilização da crista da ruptura expondo bloco rochoso envolto em solo” recomenda a proibição da execução das atividades no período noturno ou de chuva. Os trabalhos recomeçam na manhã desta quinta-feira (23).

Uma nova avaliação técnica está prevista para essa quinta, quando o Gabinete de Crise instalado pelo prefeito Luiz Mauricio se reunirá para avaliar o andamento dos trabalhos e a sua evolução, novamente com a participação da Defesa Civil do Município e do Estado, Polícia Militar, Bombeiros, IPT e DER, além de profissionais da Prefeitura. 

Volume de chuva inédito na cidade
Das 7h de sábado (18) até às 7h de domingo (19), Peruíbe teve um volume de chuva nunca antes registrado em igual período. O índice médio foi superior a 180 milímetros. 

A média histórica de Peruíbe, para os 31 dias de maio, é de 126 milímetros de chuva, segundo dados do DAEE – Departamento de Águas e Energia Elétrica, que tem medições desde 1963. No entanto, de acordo com levantamento feito pelas autoridades, somando as estações pluviométricas da cidade, choveu em três dias mais de mil milímetros pelos bairros da cidade. É possível afirmar que historicamente jamais o município recebeu um volume de chuva tão expressivo em tão pouco tempo.