MP e Ultracargo assinam acordo de R$ 67,3 milhões por danos ambientais causados em incêndio


63 dias atrás
Por: #Santaportal - Em 15/05/2019 às 16:20
MP e Ultracargo assinam acordo de R$ 67,3 milhões por danos ambientais causados em incêndio Divulgação/Corpo de Bombeiros

SANTOS - Um acordo de R$ 67,3 milhões foi assinado nesta quarta-feira (15), na sede do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema), em Santos, quatro anos depois do incêndio que atingiu o terminal da Ultracargo, no Parque Industrial da Alemoa. Representantes do Ministério Público Estadual, Federal e da empresa rubricaram o documento, que prevê uma compensação parcial pelo episódio.

Apesar da assinatura desse acordo, os promotores e procuradores do MP ainda desejam que as indenizações cheguem ao total de R$ 3 bilhões, tendo em vista que esse foi o maior incêndio do gênero registrado na história do país.

O valor acertado nesta quarta prevê o ressarcimento de, pelo menos, 15 comunidades pesqueiras afetadas pelo incêndio.A água utilizada no combate ao fogo contaminou a região do Estuário e os rios que ficam perto do local.

Os executivos da Ultracargo não falaram com a imprensa sobre o assunto. Por meio de nota, a empresa se manifestou destacando que o valor vai contemplar 2.056 pescadores da região, que sofreram com a interrupção temporária da pesca de 12 espécies de peixes. Além disso, o montante também será destinado para atividades de capacitação, compra de equipamentos e execução de pesquisas, que serão implementadas por organizações independentes, com a coordenação dos trabalhos por parte do Ministério Público.

Entenda o caso
O maior incêndio do Brasil ocorreu no dia 2 de abril de 2015 e só terminou oito dias depois. Seis tanques com álcool, gasolina e diesel foram consumidos pelas chamas, totalizando 23 mil metros cúbicos de combustível. Nuvenstóxicas se espalharam por várias cidades da região e quase nove toneladas foram retirados do canal do Estuário. O mangue também foi contaminado.