Com gol de Jean Mota no final, Santos bate Mirassol no Pacaembu


76 dias atrás
Por: Ted Sartori/#Santaportal - Em 09/02/2019 às 19:17
Com gol de Jean Mota no final, Santos bate Mirassol no Pacaembu Divulgação/Santos FC

SANTOS FC - Na última quarta-feira, (6) o Santos massacrou o Altos, do Piauí, por 7 a 1, em Teresina, na estreia na Copa do Brasil. Parecia que o estoque havia acabado neste sábado (9), diante do Mirassol, no Pacaembu, pela 6ª rodada do Paulistão, pois o insistente 0 a 0 seguia firme. Apenas parecia.

Dessa vez o placar foi magrinho, mas veio o triunfo 1 a 0, gol de Jean Mota, aos 49 minutos do segundo tempo, depois de muitas oportunidades criadas, especialmente na etapa final. Seria a primeira partida na temporada na qual o time da Vila Belmiro não estufaria a rede. Seria.

De olho na Copa Sul-Americana na terça-feira (12), quando enfrenta o River Plate, do Uruguai, às 19h15, no Estádio Luiz Franzini, em Montevidéu, o técnico Jorge Sampaoli poupou muitos titulares e promoveu as estreias de Cueva, apresentado antes do jogo e que teve boa atuação até ser substituído por Carlos Sanchez, e do goleiro Everson, que acabou não sendo testado.

Pelo Paulistão, o próximo desafio do Santos será diante do Guarani, dia 18, às 20 horas, no Pacaembu. Já o Mirassol enfrenta o Ituano três dias antes, na sexta-feira (15), no Estádio Municipal Dr. Novelli Júnior, em Itu.

O jogo
No primeiro tempo, o Mirassol conseguiu o que se propôs: impedir que o Santos criasse lances de ataque, em especial os construídos pelo meio. O Alvinegro até tentou pelas laterais, mas nada produziu de efetivo, embora tenha tido quase o dobro de posse de bola.

Diante deste comportamento da equipe do Interior, era esperado que o Mirassol nada fizesse em termos ofensivos. E assim foi: o goleiro Everson não teve qualquer trabalho na etapa inicial.

O Santos voltou para o segundo tempo pressionando muito mais. As entradas de Derlis Gonzalez, em lugar de Eduardo Sasha, e de Carlos Sanchez substituindo Cueva, intensificaram isso.

A chance perdida mais incrível do Alvinegro aconteceu aos 20 minutos. Após boa triangulação pelo lado esquerdo, Jean Mota recebeu e cruzou para Soteldo. O venezuelano, sem marcação e de frente para a meta, sem goleiro, chutou de direita para fora, rente à trave.

O rosto de incredulidade de Soteldo, colocando as mãos na cabeça e olhando para o céu, em função da oportunidade desperdiçada era a mesma da torcida nas arquibancadas. Parecia que não daria. Parecia.

Aos 49, o próprio venezuelano iniciou o lance do gol da vitória santista. O toque chegou em Derlis Gonzalez, que tirou o adversário por duas vezes, já na pequena área, e chutou cruzado. Na dividida quase sobre a linha com o defensor, Jean Mota acreditou e empurrou para a rede. Foi o último lance do jogo, que aliviou os 19.261 torcedores presentes (sendo 16.634 pagantes, com renda de R$ 522.527,00).