Caminhões com 2 eixos são liberados, mas IPT aponta necessidade de reforma na Ponte dos Barreiros


36 dias atrás
Por: #Santaportal - Em 18/01/2019 às 18:25
Caminhões com 2 eixos são liberados, mas IPT aponta necessidade de reforma na Ponte dos Barreiros Cesar Morgado/Divulgação Prefeitura Municipal de São Vicente

SÃO VICENTE - Após três semanas de proibição, caminhões com até dois eixos voltaram a circular a partir desta sexta-feira (18) sobre a Ponte dos Barreiros, em São Vicente. A liberação foi dada após a conclusão do laudo técnico do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), que apontou também a necessidade de urgência na recuperação da estrutura de sustentação.

Em relação à necessidade de obras, o laudo aponta que “nesse período de 180 dias o IPT recomenda fortemente iniciar as obras” para a recuperação do local. De acordo com a inspeção, há fissuras e perda de seção de concreto do interior das estacas, além de presença de armadura exposta e corroída.

O relatório expedido pelo órgão estadual destacou ainda que veículos leves, ônibus intermunicipais e micro-ônibus continuam autorizados a utilizar a ponte. O acesso permanece restrito apenas a caminhões a partir de três eixos.

A Secretaria de Trânsito e Transportes de São Vicente (Setrans) já substituiu as placas de sinalização indicando a permissão.

Por volta das 10h, o prefeito Pedro Gouvêa apresentou o teor do laudo a uma comissão de caminhoneiros, que reivindicava a liberação. “Sabemos da importância da ponte e por meio do diálogo buscamos uma solução”, afirmou o prefeito Pedro Gouvêa.

Após a notícia, os caminhoneiros mostraram-se satisfeitos com a decisão. “Ainda não é 100%, mas já melhora muito o tráfego de caminhões de dois eixos. Agora podemos trabalhar normalmente”, avaliou Eduardo Della Monica, 60 anos, que há 25 trabalha na Área Continental com comércio de sucata.

A proibição de tráfego de caminhões na Ponte dos Barreiros se deu após testes na estrutura realizados pelo IPT no dia 23 de dezembro. Seguindo orientação do órgão estadual, também foram instaladas de forma preventiva lombadas nos dois lados da cabeceira da ponte, visando reduzir o impacto sobre a estrutura.

A passagem tem 623 metros de extensão, constituída por superestrutura com vigas apoiadas em 30 quadrantes (peças estruturais constituídas por um conjunto de vigas e blocos onde se apoia a estrutura).