Pedido de habeas corpus a prefeito de Mongaguá é negado


93 dias atrás
Por: #Santaportal - Em 17/05/2018 às 11:54 - alterado em 17/05/2018 às 22:51
Pedido de habeas corpus a prefeito de Mongaguá é negado Divulgação / Facebook

LITORAL SUL - O habeas corpus solicitado ao prefeito Artur Parada Prócida (PSDB), preso por lavagem de dinheiro pela Polícia Federal, foi negado nesta quarta-feira (16) pelo ministro Felix Fischer do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A defesa do político vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF), para que ele possa responder em liberdade.

Até a próxima sexta-feira (18), o advogado de Prócida, Eugênio Malavasi, tenha acesso aos detalhes da negativa da liminar, para que possa entrar com outro pedido na última instância, no STF.

Prisão
Na última quarta-feira (9), aPolícia Federal prendeu em flagrante Parada Prócida com R$ 4,6 milhões e U$ 217 mil em espécie, durante execução de mandado de busca e apreensão na residência dele, pela operação Prato Feito. Eleito cinco vezes para o cargo, o político é investigado por suspeita de desviar verbas da União destinadas à Educação.

Vandalismo
Na última terça-feira (15), a casa do prefeito de Mongaguá, no bairro Jardim Caiahu, amanheceu pichada com os dizeres "Imorais" e "Prefeito corrupto ladrão". A família não registrou boletim de ocorrência sobre o ato.