Campeã de pedestrianismo, Maria dos Remédios morre aos 48 anos em Santos


159 dias atrás
Por: #Santaportal - Em 09/05/2018 às 15:35 - alterado em 10/05/2018 às 15:51
Campeã de pedestrianismo, Maria dos Remédios morre aos 48 anos em Santos Cesar Morgado/Divulgação Prefeitura Municipal de São Vicente

ESPORTE - A atleta Maria dos Remédios morreu no início da tarde desta quarta-feira (9), no Hospital São Lucas, em Santos. A causa da morte da corredora, de 48 anos, ainda não foi divulgada.

Formada em Educação Física pela Unimes, a atleta de 48 anos acumulou em sua vida esportiva diversos títulos no pedestrianismo. Maria dos Remédios sofreu uma parada cardíaca no Hospital São Lucas, onde foi atendida após passar mal.

No domingo passado (6), foi homenageada com a “Corrida do Trabalhador – Maria dos Remédios”, realizada na Praia do Itararé, prova que arrecadou quase uma tonelada de alimentos destinados ao Fundo Social de Solidariedade de São Vicente. Ela era chefe de departamento da Secretaria de Esportes (Sespor).

Uma biópsia deverá apontar a causa da morte. A família ainda não divulgou informações sobre o velório e sepultamento.

Trajetória
Nascida em São Luís (MA) e radicada em São Vicente, Maria dos Remédios começou a correr aos 22 anos. Inicialmente, dividia o esporte com atividades que lhe garantiam remuneração. Neste contexto, foi babá, massagista, passadeira de roupas e empregada doméstica. Apaixonada pelo esporte conseguiu patrocinadores e, com muito esforço, concluiu a faculdade de Educação Física.

Os resultados positivos na carreira de atleta confirmavam a vocação. Conquistou seis vezes o Campeonato Santista de Pedestrianismo. Em 2012, alcançou aquilo que ela própria considerou o auge da carreira: medalha de ouro na Meia Maratona A Tribuna – Praia Grande. Na ocasião, aos 43 anos, chegou a declarar. “Agora, sim, me considero uma atleta de elite. Até então, não conseguia me ver dessa forma”.

Pouco antes, chegou a ficar um ano afastada dos treinamentos, depois de ter cistos no ovário e um mioma no útero. Evitava tocar no assunto, mesmo após ter superado a doença. “Não gosto de pensar nisso. Prefiro focar nas coisas boas”. Dentre essas práticas positivas, estava um projeto de aula de dança pública para mulheres. As atividades semanais ocorriam na Praça Tom Jobim.

Maria dos Remédios, a mulher que viveu 12 anos na roça maranhense, era casada e morava no Gonzaguinha. Morreu aos 48 anos, deixando uma imagem vibrante de superação e força.

Calendário