Gabigol é expulso, mas Sasha e Rodrygo brilham para levar Santos a primeira vitória na Libertadores


125 dias atrás
Por: #Santaportal - Em 15/03/2018 às 22:00
Gabigol é expulso, mas Sasha e Rodrygo brilham para levar Santos a primeira vitória na Libertadores Reprodução/Conmebol

FUTEBOL - O Santos conquistou a sua primeira vitória na Copa Libertadores da América na noite desta quinta-feira (15) ao derrotar o Nacional (Uruguai), por 3 a 1, no Estádio do Pacaembu. O resultado pode não sugerir as dificuldades enfrentadas pelo Peixe na partida, mas a equipe praiana jogou com um a menos desde os 43 minutos do segundo tempo, quando Gabigol foi expulso. Sasha (2) e Rodrygo marcaram os gols do triunfo santista. Oliva descontou para os visitantes.

Com o resultado, o Santos entrou na zona de classificação da Libertadores com três pontos, na vice-liderança do grupo 6 da competição, contra quatro do Estudiantes. O Real Garcilaso tem três, enquanto o Nacional apenas um.

Na próxima rodada, os uruguaios visitam o Real Garcilaso no dia 3 de abril (terça-feira), às 19h15, no Estádio Garcilaso de La Vega, no Peru. Dois dias depois (5), às 21h30, o Peixe visita o Estudiantes no Estádio Ciudad de La Plata, na Argentina.

O jogo
Em jogo com seis títulos de Libertadores em campo – três para cada lado -, o Santos começou melhor do que o Nacional e dando a impressão de que passaria por cima do rival. Tanto que, aos 19 minutos, os donos da casa abriram o placar. Jean Mota cruzou na cabeça de Eduardo Sasha, que desviou para o fundo das redes. O goleiro Conde tentou fazer a defesa, mas falhou ao deixar a bola escapar entre os dedos.

O segundo gol santista por pouco não saiu logo na sequência. O atacante Gabriel Barbosa, o Gabigol, foi acionado em velocidade, se enrolou com a bola, porém ainda conseguiu dar belo passe para Cittadini, que mandou para dentro da área. Sasha tentou alcançar de carinho, mas não conseguiu empurrar para o gol.

Após tanta pressão do time praiano, o Nacional esboçou uma reação, entretanto, não conseguiu ameaçar o gol defendido por Vanderlei nos primeiros 45 minutos.

No entanto, Gabigol, que já tinha levado o cartão amarelo no começo da partida por reclamação, fez falta dura em Polenta e recebeu o vermelho, deixando sua equipe com 10 para a etapa complementar.

Com a expulsão de Gabigol, foi a vez do técnico Jair Ventura entrar em ação. O treinador alvinegro sacou o meia argentino Vecchio para a entrada do lateral-esquerdo Dodô, empurrando Jean Mota para o meio. Desta forma, Jair alinhou o Santos com duas linhas de quatro, sendo uma na defesa e outra no meio-campo, com apenas o jovem Rodrygo livre no ataque.

A estratégia do comandante deu resultado logo aos dois minutos do segundo tempo. Rodrygo recebeu de Dodô pelo lado esquerdo do campo, passou por dois marcadores e chutou forte na saída do goleiro para fazer o segundo do Peixe.

Em vantagem, o Santos se postou todo atrás, tentando surpreender na base do contra-ataque. Aos 27 minutos, a equipe paulista teve a chance de matar o jogo. Daniel Guedes acionou Arthur Gomes, que sofreu pênalti. O jovem atacante foi para a cobrança, mas parou nas mãos de Conte.

Apesar da superioridade numérica, o Nacional só chegou em duas oportunidades. Na primeira delas, com Bueno, que recebeu de Espino e mandou de cabeça rente à trave. Minutos depois, os uruguaios foram mais felizes e Oliva bateu forte, sem chances para Vanderlei, e diminuiu o placar.

Com o gol dos visitantes o jogo poderia ganhar contornos dramáticos, porém, a resposta santista foi imediata. Alison deu bela assistência para Eduardo Sasha tocar na saída do arqueiro do Nacional, dando números finais ao duelo: 3 a 1.