Coluna de sustentação em prédio de luxo desaba e moradores são obrigados a evacuar o local


294 dias atrás
Por: #Santaportal - Em 22/02/2018 às 18:44 - alterado em 23/02/2018 às 00:18
Coluna de sustentação em prédio de luxo desaba e moradores são obrigados a evacuar o local Reprodução/Facebook Praia Grande Mil Grau

PRAIA GRANDE - Moradores de um prédio de alto padrão no bairro Canto do Forte, em Praia Grande, precisaram deixar o próprio apartamento, após a queda de um das colunas de sustentação do edifício na noite desta quarta-feira (21). A situação causou um forte tremor, sentido em várias outras construções do bairro. O local precisou ser interditado, nesta quinta-feira (22), pela Defesa Civil do município. Apesar disso, ninguém ficou ferido.

Segundo testemunhas, o problema aconteceu por volta das 22h no Residencial Talismã I, um prédio de alto padrão localizado na Rua Brigadeiro Faria Lima, no bairro Canto do Forte, e deixou apreensivos vizinhos das construções ao lado.

De acordo com uma das proprietárias do imóvel, que preferiu não se identificar, ninguém se feriu. Contudo, o primeiro estrondo foi tão forte que chegou a quebrar lâmpadas em alguns apartamentos.

Prontamente, a Defesa Civil foi chamada para atender a ocorrência e, ao chegar à localização, solicitou que o prédio fosse esvaziado imediatamente, visto que não era possível constatar as consequências do problema de imediato. Porém, uma moradora disse que a rua foi interditada.

Cerca de 40 pessoas estavam no edifício no momento em que ocorreu a queda de uma das colunas de sustentação do residencial e, até o momento, não foram autorizadas a voltar para casa.

Por meio de nota, a Administração Municipal informou que notificou a síndica para que todos os moradores evacuassem o prédio por questões de segurança, e solicitou a apresentação de um laudo técnico referente à parte estrutural do local. Depois disso, a volta ou não dos moradores será liberada.

A Defesa Civil também foi acionada na manhã de hoje (22) e fez uma vistoria apurada das condições do imóvel.

Agora, alguns dos moradores do edifício estão em hotéis ou na casa de familiares, enquanto aguardam a liberação para o retorno.