Jair enaltece carinho da torcida, diz não temer pressão e promete Santos ofensivo


108 dias atrás
Por: Rodrigo Martins/#Santaportal - Em 05/01/2018 às 13:16
Jair enaltece carinho da torcida, diz não temer pressão e promete Santos ofensivo Ivan Storti/Divulgação Santos FC

FUTEBOL - O Santos apresentou no início da tarde de hoje o seu novo técnico: Jair Ventura. O profissional foi apresentado no Centro de Imprensa da Vila Belmiro, ao lado do novo executivo de futebol do Clube, Gustavo Vieira, e falou sobre os desafios que espera encontrar no comando do Peixe.

“É uma responsabilidade e um orgulho muito grande. O Santos fez todo esse esforço e me tirou do Botafogo, para começar esse trabalho aqui. Me sinto honrado pelas manifestações de carinho da torcida comigo. Espero corresponder às expectativas com títulos”, disse Jair, que assinou contrato de um ano e trouxe consigo o auxiliar Emílio Faro e o preparador físico Ednílson Sena para integrarem a comissão técnica santista.

Indagado sobre as razões que lhe fizeram trocar o Botafogo pelo Santos, Jair Ventura destacou dois pontos: “O que me motivou foi a torcida do Santos, falando do meu nome, e o presidente (José Carlos Peres), que na conversa que nós tivemos falou muito bem sobre a minha pessoa, a minha conduta e o que ele pretendia para o Santos. Isso tudo me fez pesar e vir para o Santos”, salientou.

Jair aproveitou a oportunidade para dizer que não pagou a multa de rescisão de seu contrato com a equipe carioca e que o acerto foi feito entre as duas diretorias. “Muito se falou de eu estar pagando a multa, querendo sair do Botafogo. Essa questão foi resolvida entre os clubes, não foi o Jair com o Botafogo. Fiquei feliz de o Santos ter interesse no meu trabalho e fazer um investimento desses no treinador”, afirmou.

O treinador também falou sobre a questão do “DNA ofensivo” do Santos, uma das principais características da equipe ao longo de sua história. Jair Ventura negou que seja adepto de um estilo de jogo mais defensivo. Para ele, o importante é que o técnico saiba tirar o máximo de seus jogadores e, em cima disso, coloque em prática um esquema tático.

“Todo treinador tem seu modelo de jogo definido, mas isso vai de acordo com as características que você tem. Se o grupo tiver jogadores com características mais defensivas, você precisa ter um estilo mais defensivo. Vamos ser super ofensivos, mas não vamos perder o jogo coletivo e o equilíbrio. Vamos ser organizados, táticos e intensos”, comentou.

Mesmo com o pouco tempo de pré-temporada e com o calendário mais apertado em função da disputa da Copa do Mundo na metade do ano, Jair não teme a pressão por resultados. “Eu já vivenciei isso no ano passado no Botafogo, quando tivemos uma pré-Libertadores e um período muito curto de preparação. Com relação à paciência com o trabalho, ela é igual para todos os treinadores, tanto os jovens quanto os mais experientes. Essa paciência vem de acordo com os resultados. Apesar de ser jovem, há 12 anos eu me preparava para ser treinador e há um ano e meio estava tendo a responsabilidade de treinar um grande clube como o Botafogo. Então, estou acostumado com essa cobrança e essa pressão”, finalizou.

Histórico
Com 38 anos, Jair nasceu no Rio de Janeiro e é um dos treinadores mais novos de sua geração. Filho do ex-atacante Jairzinho, o Furacão da Copa de 70, começou no futebol como jogador e passou por times no Brasil, França e Gabão. Ao encerrar a carreira de atleta, se formou em Educação Física, além de diversos cursos de aperfeiçoamento para a nova carreira.

Começou a trabalhar como auxiliar de preparação física, em 2008, no Botafogo e em 2009 se tornou assistente técnico. Estreou como interino em 2010, com 29 anos. Em 2016 foi efetivado como técnico da equipe carioca, onde permaneceu até o final de 2017, alcançando as quartas de final da Libertadores da América.