Atropelamento em Londres deixa um morto e vítimas feridas; polícia afirma que é atentado terrorista


178 dias atrás
Por: Agência EFE - Em 19/06/2017 às 08:02
Atropelamento em Londres deixa um morto e vítimas feridas; polícia afirma que é atentado terrorista Reprodução/Globo News

MUNDO - A Polícia Metropolitana de Londres confirmou nesta segunda-feira (19) a morte de uma pessoa no atropelamento de fiéis muçulmanos perto da mesquita de Finsbury Park, ao norte da capital britânica. Pessoas ficaram feridas e foram hospitalizadas em três hospitais da cidade. A polícia afirma que A informação é da Agência EFE.

Em comunicado, a polícia informou que, depois que uma caminhonete atropelou as pessoas, um homem de 48 anos foi detido no local do incidente, após ser parado pela multidão. A unidade antiterrorista da polícia participa da investigação do incidente.

O homem detido foi levado a um hospital, como medida de precaução, e, assim que tiver alta, será encaminhado a uma delegacia para ser interrogado e submetido a testes a fim de verificar seu estado mental, de acordo com o comunicado.

Segundo a polícia, uma pessoa morreu no local e os feridos foram levados a três hospitais da capital. Duas pessoas foram atendidas com ferimentos leves.

O subcomandante Neil Basu, da Scotland Yard, afirmou que, por enquanto, acredita-se que tenha sido um só indivíduo que atropelou com uma caminhonete fiéis que acabavam de finalizar suas orações na mesquita. Segundo ele, todas as vítimas pertencem à comunidade muçulmana.

Oito feridos estão internados em três hospitais da cidade, dois em "estado crítico". Mais dois foram atendidos no local e já foram liberados. "Isso foi um ataque contra Londres e todos os londrinos. Devemos permanecer lado a lado contra esses extremistas", afirmou Basu.

A polícia não descarta neste momento nenhuma hipótese. acrescentou o agente. Por enquanto, um homem de 48 anos é o suposto agressor. Ele foi detido por uma multidão após o atropelamento, permanece sob custódia policial e "não foram identificados outros suspeitos", disse Basu.