Falsos médicos tentam aplicar golpes em pacientes do Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande


43 dias atrás
Por: #Santaportal - Em 15/05/2017 às 11:43
Falsos médicos tentam aplicar golpes em pacientes do Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande Divulgação/ Maitê Morelatto

PRAIA GRANDE - Os pacientes do Hospital Municipal Irmã Dulce (HMID) novamente são alvo de golpistas que se passam por médicos para tentar extorquir dinheiro das vítimas. Essa é a segunda vez que a direção do HMID identifica esse tipo de ação. A outra tentativa de lesar os pacientes aconteceu há cerca de cinco meses.

Agora os criminosos se identificam com os nomes de "Gabriel" e "Eduardo", querendo acessar a lista de pessoas internadas. A origem das ligações, assim como o golpe anterior, são do Mato Grosso. Os falsos médicos sempre se identificam apenas pelo primeiro nome e falam em tom firme, tentando convencer telefonistas a passar a ligação para determinados setores como: laboratório, patologia e regulação de vagas.

Apesar de serem orientados pela conduta, funcionários não obedecem e acabam transferindo a ligação. Para justificar o motivo de saber quais pacientes estavam internados na UTI, os conhecidos por "Gabriel" e "Eduardo" disseram que não conseguiam visualizar a lista completa de seus pacientes nos computadores pessoais.

Segundo a coordenadoria do Serviço de Apoio ao Paciente (SAP), Marisa Paiva, no momento em que notam que não os dados não serem passados, o contato é finalizado. “São pessoas que tentam ser convincentes, reagem com grosseria quando questionados. Em razão dessas ocorrências, tratamos de afixar comunicados em todos os setores acessíveis ao público”, destacou.

Pacientes e acompanhantes são alertados que o atendimento do Complexo Hospitalar Irmã Dulce é feito somente pelo Sistema Único de Saúde, sendo ele gratuito ao cidadão. “Abordagens nesse sentido devem ser comunicadas imediatamente à polícia”, salientou a coordenadora do SAP.

Além disso, cartazes foram colocados em locais acessíveis a pacientes e acompanhentes a fim de orientar o público sobre a gratuidade dos serviços no HMID.

Outro caso
No final do ano passado, familiares de pacientes informaram às equipes da UTI do HMID sobre um "médico" estar solicitando o valor próximo a R$ 1.500,00 de cada família, devendo ser depositado em conta bancária para compra de medicamentos ou exames. As pessoas foram alertadas que isso era fraude e, também foram orientadas para denunciar na polícia. O homem se identificava como Marcelo.