Divulgação Divulgação

Dia Internacional da Mulher - Sororidade pela Igualdade

Olá amigos,

 

Hoje em especial, deixo uma reverência às mulheres (em toda sua diversidade), pelo nosso dia.

 

Dia 8 de março se comemora o Dia Internacional da Mulher, data oficializada pela ONU em 1975, e que tem alguns movimentos nos EUA e Europa, no início do século XX, apontados como sua origem. O dia 08 foi utilizado referenciando um protesto ocorrido em 1917 na Russia, onde um grupo de operárias saiu às ruas para se manifestar contra a fome e a Primeira Guerra Mundial.

 

Após uma breve pincelada sobre a história, trago para transcendermos juntos a questão da “SORORIDADE”, fundamental para os avanços e conquistas do FEMINISMO, em nível mundial.

 

Para um melhor entendimento do que é “SORORIDADE”, podemos defini-la como a união, aliança ou irmandade entre mulheres, baseada no companheirismo, ajuda mútua e empatia, na busca de objetivos comuns.     O termo é utilizado apenas para mulheres, em virtude da morfologia da palavra, derivada de “sóror”, do latim “irmã”.    No masculino temos seu equivalente signigicado na palavra “fraternidade”.

 

Entendido esse conceito, temos nele a base necessária para a luta pela igualdade de gênero, em direitos e vivência equânimes, livres dos padrões patriarcais.   Esse e o objetivo do “Feminismo” em sua essência. 

 

Muitas bobagens são ditas sobre o movimento feminista, alguns lamentavelmente engrossados por algumas mulheres, desqualificando, ofendendo e ridicularizando mulheres que lutam por essa causa.     Grande parte dessas frases são proferidas pela herança recebida da criação familiar, ainda pautada nos valores do “macho-centrismo” (neologia permitida...rsss).


Engana-se quem acha que o feminismo propõe o domínio ou supremacia das mulheres sobre homens.    A luta é simplesmente por igualdade de direitos entre todos, homens e mulheres.

 

É verdade que existem algumas militantes que são mais agressivas em seus protestos, como exposição de seus corpos e atitudes extremistas, mas com absoluta certeza, não são maioria dentro dessa luta.   O radicalismo, infelizmente está presente em todos os movimentos de nossa sociedade.  Em torcidas de futebol, partidos ou ideologias políticas, defesa dos animais, movimentos sociais por terra e moradia, mas nenhuma generalização é justa com nenhum desses segmentos.

 

Muitas ativistas trabalham em movimentos e coletivos com ações positivas, para a visibilização e discussão das demandas de uma outra forma.  

 

Eu mesma tenho a grata satisfação de ter participado, como palestrante, de alguns eventos corporativos na área de inclusão e diversidade, e nesses encontros conhecer mulheres incríveis, principalmente ligadas ao meio empresarial, que tem uma relevante luta pela diversidade de gênero e empoderamento feminino.   E essas associações, ONGs e entidades estão ganhando cada vez mais espaço.

 

É a tal sororidade lutando pela igualdade!!

 

O dia internacional da mulher não é uma data comemorativa ou comercial, mas sim uma data para ressaltar o “orgulho” em ser mulher.   “Orgulho” no sentido de fortalecer a luta para a garantia dos direitos ainda não reconhecidos.  Um dia por mais visibilidade e atenção a nossas demandas.    Portanto, é um dia para ganharmos mais do que bombons e flores... é um dia para sermos vistas... e enxergadas!

 

Em nosso país, a cada 2 horas uma mulher foi morta, simplesmente por ser “mulher” – o chamado “crime de feminicídio” – e, conforme estatísticas apresentadas pelo portal g1.com e pelo Núcleo de Estudos de Violência da Universidade de São Paulo.  

 

Temos aqui a Lei do Feminicídio e a Lei Maria da Penha de proteção às mulheres, mas mesmo assim, os números ainda são alarmantes e nem todas as mulheres sabem sobre seus direitos.

  

É contra essa violência, contra a desigualdade no mercado de trabalho e contra outras discriminações que o movimento feminista se articula, sempre em busca de visibilidade às demandas das mulheres e, principalmente, da conquista de locais de fala e escuta para esse ativismo.

 

É uma luta pelo respeito.   É uma luta por SORORIDADE.  É uma luta pela igualdade.... pelo direito de ter direitos.

 

E é isso que essa data traz para nós.  Uma reflexão do que fazemos em nosso entorno para que nós mulheres sejamos tratadas de forma justa a igualitária.

 

Felizmente, muitos homens hoje em dia estão aderindo a essa preocupação, seja em seus lares, no trânsito, no ambiente acadêmico ou profissional, mas é uma longa jornada que ainda precisamos percorrer.

 

Meu blog fala de RESPEITO e esse é o caminho.  E hoje é dia de lembrar de que ainda há muito a se conquistar, pela igualdade e respeito.

 

Dia para se levantar contra a misoginia, o sexismo e a violência contra a mulher, em especial contra o feminicídio.

 

Somos e sempre seremos mais do que se espera que sejamos. SOMOS QUEM SOMOS: MULHERES!! 

 

E somos mulheres em toda nossa diversidade.  Mulheres de todas as classes, etnias, credos, corpos, viéses políticos, orientações sexuais e identidades de gênero (biológicas ou não) e, a cada afronta ao direito ou integridade de uma de nós, todas sofrem com isso.

 

Juntas... somos mais fortes!!!

 

Que esse dia alcance seus objetivos no coração de cada uma de nós e da sociedade como um todo.

 

Grande abraço e até o próximo artigo.

 

 

Leia Mais
     
Sobre
Ensaios e opiniões sobre assuntos ligados a diversidade, estilo de vida, música entre outros, em busca de transcender a visão sobre esses temas, sob a ótica de Flavia Bianco, transgênero de 43 anos, santista de nascimento, publicitária de formação e musicista de coração. Participe interagindo ou sugerindo temas pelo email: blog.transcendendo@gmail.com