Divulgação Divulgação

O Melhor Lugar do Mundo é Dentro de um Abraço

Olá amigos.

Em tempo de Copa do Mundo concluída, ficam os parabéns à Seleção Francesa, pela conquista do título, e aos Croatas, por terem chegado com dignidade à final inédita para seu país.   Mas aqui, não abordarei o aspecto esportivo dessa final.


Estava eu, despretensiosamente assistindo a cerimônia de premiação dos campeões e vice-campeões, quando duas cenas me chamaram atenção.


Uma delas negativamente, mostrando que em àquela chuva torrencial que caía durante a entrega das medalhas, um dos assessores ou sei lá o que, do presidente russo se preocupou “apenas” em proteger com um guarda-chuva o seu chefe, deixando os demais convidados serem encharcados pela água…  No mínimo deselegante, para não dizer desrespeitoso com os convidados.  Mas enfim, um pequeno problema de educação mesmo... ou falta dela, que não vale maiores comentários ou destaques.


Mas o outro, que mais me chamou atenção, foi ver a presidente da Croácia, Kolinda Grabar-Kitarovic,  abraçando de forma tão aconchegante a cada um dos jogadores derrotados e repetiu o mesmo gesto com cada um dos jogadores franceses, aqueles mesmo que haviam acabado de impor a derrota da seleção de seu país, numa final de Copa do Mundo.


Eu fiquei tão impressionada, ou melhor, apaixonada com aquela cena, que fui pesquisar um pouco mais sobre essa mulher de 50 anos.


Diplomata, com formação nos EUA.  Foi embaixatriz Croata nos Estados Unidos, entre 2008 e 2014.  Em 2015, venceu a eleição presidencial de seu país, pelo partido conservador União Democrática Croata, se tornando a primeira mulher presidente da Croácia.


Essa mulher, brevemente descrita e com a austeridade que o cargo lhe impõe, demonstrou um afeto e um carinho com os vencedores e os vencidos, digno de registro.


Nas notícias divulgadas pela Internet, verifiquei que sua viagem e sua estadia na Rússia, durante a Copa, foram bancadas com recursos próprios, contrariando a esmagadora maioria dos políticos e demais “encostos” que estavam lá, às custas dos seus governos (leia-se: população).


Isso por si só já a torna uma mulher diferenciada, não apenas no cenário político internacional mas na questão ético-moral, principalmente no RESPEITO a todo o povo de um pequeno país da Europa.     Aaahhh  se  tivéssemos  algumas Kolindas  no comando... de preferência em todas as esferas públicas e privadas de nosso país...  mas o cerne da questão não é política.


Prefiro me ater na forma afetuosa e acolhedora daquele abraço que vi na televisão., dado apenas alguns minutos após ter perdido uma final de Copa do Mundo.

Naquele momento, ela acolheu com olhares e abraços cada um de seus jogadores e técnico, assim como o fez também com os jogadores franceses.   Abraços verdadeiros, cheios de emoção e sentimento, que exalaram pela tela da minha televisão a milhares e milhares de quilômetros dali...

blog20187161059162.jpg

E é sobre esse assunto que eu quero Transcender com vocês.

Hoje em dia, cada vez mais vivemos tempos de abraços frios, de sorrisos amarelos e olhares indiferentes.    Não digo nem com aqueles a quem não conhecemos ou não guardamos simpatia.   Para esses então nem se fala...


Hoje vemos cada vez mais as pessoas com dificuldade de expressar seus sentimentos, seja com familiares, amigos, alguém recém conhecido...  um abraço verdadeiro, um beijo afetuoso (e não erótico...  kkkk) é cada vez mais difícil de se ver, quanto mais de se receber.


Eu sou daquelas pessoas que gosta de um abraço bem apertado, e sei que ainda há muitos desses abraços por aí,   Abraços retribuídos, demonstrando afeto, acolhimento, respeito e, em determinados momentos, de consolo, em contraponto a tantos abraços burocráticos e meramente formais.


O mesmo acontece com beijos cada vez mais raro nas famílias, entre pais e filhos meninos,  entre irmãos,  entre amigos…  e quem ousa manter essa demonstração de afeto e demonstrar em público, por vezes corre o risco de sofrer ataques de intolerância, confundidos e rotulado por pessoas absolutamente inábeis em lidar e entender o sentido de afeto.


Nunca é demais lembrar que há 0casos de pais e filhos que foram agredidos simplesmente por estarem abraçados ou mesmo casos de amigas ou irmãs que são hostilizadas, por andar de mãos dadas.   Absurdo e pura idiotice de uma intolerância arraigada em uma homofobia, que acaba por também castigar pessoas heterossexuais, vítimas dessa patologia social.


Ocorrências como essa, aliada à cultura do “não pode” ou “não e coisa de homem” e bobagens do tipo, talvez possam estar interferindo na forma como demonstramos o nosso afeto por um amigo, parente ou por alguém que, muitas vezes, só precisa de um abraço, um acolhimento, uma palavra amiga.


E é por isso que o exemplo dado em cadeia mundial de televisão pela presidente croata chama tanto a atenção…   Ao lado do presidente quase intocável da Rússia, praticamente congelado pela chuva e protocolos rígidos, ela conseguiu transmitir todo o calor do seu acolhimento, a cada um daqueles encharcados jogadores que receberam aquele abraço.     Conversando com outras pessoas em meu Facebook, fiquei feliz em saber que muitas também tiveram a mesma percepção.    A percepção de que, por alguns poucos segundos, o melhor lugar do mundo era dentro daquele abraço.  Há uma música do Jota Quest que fala isso...


Então meus amigos, fica o exemplo da presidente Kolinda...  abrace mais a seus amigos parentes e pessoas em geral, abrace com vontade e da forma mais acolhedora possível.  


Dizem que o abraço é a menor distância entre dois corações e, quanto mais apertado ele for, mais vibração positiva ele gera.  


Às vezes meus amigos, um abraço apertado e acolhedor, se não pode curar a dor física ou psicológica de alguém, ao menos abranda um pouco seus sintomas... acredite. Um dos melhores remédios contra os sintomas da depressão.


Existem dois livros, os quais recomendo, escritos por Kathleen Keating, chamados TERAPIA DO ABRAÇO, volumes 1 e 2, que falam sobre diversos aspectos positivos do abraço, inclusive para a saúde e bem estar... leitura bem simples e direta inclusive para nossos pequenos. 

blog20187161237317.jpg

Bom... depois disso tudo, deixo um abraço “tão apertado e acolhedor” quanto o da Kolinda, desejando de coração que quando encontrar vocês por aí, possamos tentar repetí-lo.  Combinado?   Eu adorarei...

Beijos e até o próximo artigo.

 

 

 

  • Publicado por: Flavia Bianco
  • Postado em: segunda-feira, 16 jul 2018 22:16Atualizado em: segunda-feira, 16 jul 2018 22:17
  • Kolinda   Abraço   Flavia Bianco   

Comentários (1)

Enviar Comentário

Ricardo Oliveira

• 16/07/2018 23:16

Cada um dá o abraço que tem.
Flávia! Transcender é ultrapassar todos os limites. Esta é de meu consumo pessoal, mas compartilho com todos, também, por uma busca dos valores que importam e definem a existência humana. É difícil e, não é para qualquer um, a TRANSCENDÊNCIA. Pessoas que "discursam" ódios e "pré conceitos" e preconceitos tem uma barreira psicológica irreversível. Como uma árvore que foi entortada no nascimento e não cresce para determinado lado. É muito legal ver uma alternativa nascendo em você e em muitas outras pessoas. Todos nós somos um ou outro, ou outra pessoa qualquer. Somos um lugar comum que se repete de diferentes formas. Abraços de urso ou de serpente constritora é bem apertado também. Se ( e apenas se ) temos uma Alma (essência) limpa e natural podemos ver, mesmo que de olhos fechados e, perceber ainda que não seja em nós o verdadeiro abraço, mesmo que nos tenham sido tirado alguns dos nossos sentidos. Continue a sua luta. Seu caminho. Ajude a tornar o Mundo melhor sendo o melhor que ele possa ser. Sempre dei tudo que tive, que tenho e darei o que possa ter. O melhor de mim é para os outros. O que ainda não está bom em mim, eu procuro melhorar. Cada olhar, sobre o outro é bem pessoal, mas a beleza de cada gesto é compartilhada. Naturalmente. Abraço e compartilhe seu novo olhar sempre.

Santa Portal

• 26/08/2018 16:12

Ricardo... que reflexao maravilhosa. Reflete o real sentido desse blog. Agradeço o carinho e por caminhar nesse mwsmo sentido. Obrigada!!!

     
Sobre
Ensaios e opiniões sobre assuntos ligados a diversidade, estilo de vida, música entre outros, em busca de transcender a visão sobre esses temas, sob a ótica de Flavia Bianco, transgênero de 43 anos, santista de nascimento, publicitária de formação e musicista de coração. Participe interagindo ou sugerindo temas pelo email: blog.transcendendo@gmail.com